segunda-feira, 14 de junho de 2010


MINHAS COPAS



Das dezoito Copas do Mundo de futebol, dezesseis eu as vivi. Ainda não me encontrava neste mundo em 1930 e 1934. Na de 1938, contava apenas três anos de idade. Mas, foi nesse torneio que o Brasil conseguiu se destacar e ficar em terceiro lugar. Nas anteriores, realizadas no Uruguai e na Itália, o Brasil praticamente não apareceu. Apenas assinou a lista de presença.
Em 1938, surgiu, para o mundo, o futebol-arte através do grande atleta e artilheiro da Copa, Leônidas da Silva. Conseguimos o terceiro lugar.

Por causa da Segunda Grande Guerra (1939/1945) a quarta Copa só foi realizada em 1950. Desta vez, no novo Maracanã, na cidade do Rio de Janeiro, dando continuidade ao sucesso alcançado na França.

E foi nessa Copa que eu chorei! O Brasil chorou! Amargamos um segundo lugar. Perdemos para o Uruguai por 2 x 1. O título escapou por entre nossos dedos! Coitado do Barbosa... Foi crucificado durante todo o resto de sua vida por essa derrota. Na verdade, foi feito bode expiatório por essa falha.

Em 1954, a Copa foi disputada na Suíça. Uma copa conturbada por um regulamento esquisito. O Brasil foi eliminado nas quartas-de-final pela Hungria (4x2). O campeão foi a Alemanha Ocidental. Durante muito tempo, a crônica esportiva falou sobre a equipe da Hungria e seu maior jogador, Puskas.

Em 1958, finalmente o maior acontecimento esportivo do século, pelo menos para nós, brasileiros. Na Suécia, sexta edição da Copa do Mundo. O Brasil sagra-se CAMPEÃO!

Começou a nascer aí o “Rei do Futebol”, Pelé.

Entretanto, havia um jogador nesse time que poderia se tornar o REI, se ele se preocupasse com sua imagem. O vício da bebida e o sexo desvairado o derrubaram. Estou falando do homem de pernas tortas, GARRINCHA. O maior ponta direita que o mundo já viu!

Rogério Torquato assim se refere a esse incrível jogador:

“Na identidade, constava Manoel Francisco dos Santos. Tinha uma perna maior que a outra cerca de 6 centímetros, pelas contas. O andar era meio estranho, mas com a bola nos pés a história era completamente diferente. O homem aprontava desde a Copa de 1958; os ingleses se renderam diante dele na Copa de 1962, afirmando que ele não era deste mundo. E não era mesmo. Tido por anjo, demônio e craque, de acordo com o ponto de vista, os súditos de Sua Majestade apenas ratificaram que Mané Garrincha estava acima de qualquer um. Então, deveria ser um deus. O deus do drible”.

Jogando juntos, Pelé e Garrincha nunca perderam uma partida!

Em 1966, o Brasil amargou um 11º lugar. A Inglaterra, que sediou a Copa, foi a Campeã. Um torneio que, para mim, não passou de uma grande marmelada, por uma série de fatores.
No México, em 1970, conseguimos o tricampeonato. Teria sido esse o maior time brasileiro de todas as Copas? Segundo a maioria, sim.

Após o título de 1970, o Brasil entrou num jejum de 24 anos sem título. A conquista voltou a ocorrer em 1994, na Copa do Mundo dos Estados Unidos. Liderada pelo artilheiro Romário, nossa seleção venceu a Itália numa emocionante disputa por pênaltis. Quatro anos depois, o Brasil chegaria novamente à final, porém perderia o título para o país anfitrião: a França. Outra marmelada!
Em 2002, na Copa do Mundo do Japão/Coreia do Sul, liderada pelo goleador Ronaldo, o Brasil sagrou-se pentacampeão, ao derrotar a Seleção da Alemanha, por 2 x 0.

Em 2006, a Itália sagrou-se campeã em torneio realizado pela segunda vez na Alemanha.

Cheguei em 2010, minha 17ª Copa, mais as duas em que ainda não me encontrava neste mundo, 19ª.

Seremos hexa? Verei as Copas seguintes? É claro que sim!
------------------------------------------------------------------------------------
*J. Morgado é jornalista, pintor de quadros e pescador de verdade. Atualmente esconde-se nas belas praias de Mongaguá, onde curte o pôr-do-sol e a brisa marítima. J. Morgado participa ativamente deste blog, para o qual escreve crônicas, artigos, contos e matérias especiais. Contato com o jornalista: jgarcelan@uol.com.br
-----------------------------------------------------------------------------------
ACERTE O PLACAR DO JOGO ENTRE BRASIL E COREIA DO NORTE, QUE SERÁ REALIZADO NA PRÓXIMA TERÇA-FEIRA, DIA 15 DE JUNHO, E GANHE UMA CAMISA OFICIAL DA SELEÇÃO BRASILEIRA. O GANHADOR RECEBERÁ O BRINDE EM SEU ENDEREÇO, VIA SEDEX, SEM NENHUMA DESPESA. UM PALPITE APENAS CADA PARTICIPANTE. CASO TENHA MAIS DE UM ACERTADOR, SERÁ FEITO SORTEIO PARA SELECIONAR O GANHADOR. OS PALPITES PODEM SER DADOS NOS COMENTÁRIOS DAS CRÔNICAS POSTADAS NESTE BLOG, SOBRE A COPA DO MUNDO.
-----------------------------------------------------------------------------------
JOGOS DESTA SEGUNDA-FEIRA 14/06) PELA COPA DO MUNDO NA ÁFRICA DO SUL:
Holanda 2 x 0 Dinamarca
Japão 1 x Camarões 0
Itália 1 x Paraguai 1
----------------------------------------------------------------------------------

51 comentários:

  1. Caro J.Morgado: um belo balanço das Copas, parabéns! Muitos acham que a Seleção de 70 foi a melhor porque em 1958 não havia transmissão pela TV para o Brasil, era só o rádio, a propósito,com extrema competência, vencendo desafios técnicos. Coloco aquela como a melhor de todos os tempos até por um detalhe nada irrelevante: jogavam lado a lado Pelé e Garrincha, os dois maiores fenômenos do futebol mundial em todos os tempos, nunca igualados. Aproveito para agradecer às pessoas que postaram nesta manhã comentando minha crônica de ontem. Fiquei realmente feliz com a agradável participação.
    Abraços!
    Milton Saldanha

    ResponderExcluir
  2. Não resisto e vou registrar meu comentário: Dizem que os 6 cm que faltavam na perna do Mané Garrincha, sobravam em outro lugar. Tanto é verdade que ele fez o maior sucesso entre as suecas, na copa de 58!!
    Nem vou assinar em baixo, rsrsrs

    ResponderExcluir
  3. Olá Amigos

    Boa tarde

    Muito se falou dessa tal copa de 1978, na Argentina. Afinal ela aconteceu? Não me recordo e recuso-me a comentar um lapso de tempo.

    Um abraço

    Paz. Muita Paz.

    J. Morgado

    ResponderExcluir
  4. “Delicia”!!! É assim que eu resumo essa maravilhosa crônica que o Morgado postou aqui hoje.
    Confesso que em toda a história dos meus cinqüenta e dois anos vividos, eu nunca tive o prazer de deliciar uma crônica esportiva com tanto sabor sutileza como essa de hoje.
    Não quero diminuir os demais, pois eles também desempenham um papel formidável naquilo que propõem.
    Meus sinceros parabéns a todos os contribuintes desse admirável blog, que com os seus cento e cinqüenta mil acessos em tão poucos anos de vida, provaram que aqui só tem craque.

    Padre Euvideo.

    ResponderExcluir
  5. "sabor e sutileza".
    Corrigindo, faltou só um ezinho.

    ResponderExcluir
  6. Amigas e amigos: Meu irmão Rubem Mauro me mandou do Rio uma correção à minha crônica das copas nos anos de chumbo. Segundo ele, o Dadá Maravilha na época jogava no Atlético Mineiro e só depois foi para o Inter. Você confirma isso, Edward de Souza? Grato desde já.
    Abraços!
    Milton Saldanha

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Olá Milton, sim confirmo. Dadá, único jogador que foi convocado por um Presidente da República, era jogador do Atlético mineiro, quando foi chamado para substituir Toninho Guerreiro. Alegaram que Toninho Guerreiro tinha problemas cardíacos, o que não era verdade. Vários exames realizados posteriormente comprovaram que Toninho não tinha nada. Foi um jogada suja para atender o pedido do Presidente Militar Médici, que queria Dadá na seleção. Dadá não foi titular do Brasil em 70 e nem jogou, permanecendo no banco de reservas.

    Um detalhe, Milton, Dadá começou a jogar no Atlético em 68 e saiu em 73 e 74 para jogar no Flamengo. Em 76 e 77 jogou no Inter de Porto Alegre. Ainda em 77, depois que saiu do Inter e também 78, jogou na Ponte Preta de Campinas e depois, já no fim de carreira, ainda defendeu vários clubes, entre eles, Náutico, Santa Cruz, Bahia, Goiás, entre outros de menor expressão.
    Volto para comentar o texto do amigo-irmão J. Morgado...

    Abraços...

    Edward de Souza

    ResponderExcluir
  9. Prezado amigo-irmão J. Morgado!
    Agora acredito piamente em nosso prezado amigo e jornalista Renato Campos, que certa vez disse que você foi convocado para cobrir a Santa Ceia. Acompanhou quase todas as copas e sentiu a dor da derrota inacreditável do Brasil por 2 x 1, para o Uruguay, em pleno Maracanã, com 200 mil torcedores presentes. Nesta Copa de 50, Morgado, você pode confirmar, o Brasil precisava apenas do empate para ser campeão do mundo, e saiu ganhando por 1 x 0, acabando por tomar uma virada considerada impossível, em dois contragolpes da seleção uruguaia. Nos jogos desta Copa de 50, o Brasil goleou todos os seus adversários e o título era favas contadas. Mas, isso só aconteceu pela primeira vez em 58, com a enciclopédia do futebol em campo, Nilton Santos, o folha seca Didi, o endiabrado Garrincha e a grande revelação mundial, o garoto Edson Arantes do Nascimento, conhecido como Pelé.

    Seu texto, caro Morgado, é uma grande contribuição para todos aqueles que querem, nesta época de Copa do Mundo, acompanhar um pouco da história das copas e da nossa seleção em todos os tempos. Traz recordações de nossas conquistas e derrotas, lembrando Barbosa, falecido recentemente em Santos, crucificado pela derrota frente ao Uruguay por ter tomado o segundo gol que, na opinião de muitos, foi falha do goleiro. Mais uma Copa nosso Brasil tem pela frente e as grandes emoções começam amanhã, quando nossa seleção canarinho enfrenta a Coreia do Norte, espero com uma consagradora vitória. E podem deixar os palpites para o jogo, vale uma camisa oficial da seleção brasileira.

    Parabéns pela crônica gostosa de ler, Morgado. E de muitas recordações...

    Edward de Souza

    ResponderExcluir
  10. Eu também quero poder um dia dizer que acompanhei, pelo à distância, 17 copas do mundo, quem sabe 20. Posso afirmar que já tenho cinco em meu currículo. A de 94 é a primeira que me lembro, eu tinha 7 anos, de 90 era muito pequena, não me recodo, 98, 2002, 2006 e agora 2010. Já estou no caminho, quem sabe...

    Senhor J. Morgado, estou gostando muito das crônicas que o blog está postando sobre copas. Relatos como o seu de hoje, do Milton Saldanha ontem e do Edward de Souza nos indicando as possibilidades de cada seleção, apontando as favoritas, e nos contando que a bola não anda redonda para nossos jogadores, ajudam muito, principalmente nós, mulheres, que só entendemos de futebol em copas do mundo. E vamos também aprendendo com todos vocês. Já dei meu palpite de 3 x 2 para o Brasil amanhã.

    Bjos,

    Carol - Metodista - SBC

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde Juliano !!!!!

    Aproveita o tempo que lhe é farto, aproveita...

    A vida é processo de crescimento da alma aos encontro da Grandeza Divina.
    Aproveita as lutas e dificuldades da senda para a expansão de ti mesmo, dilatando o teu círculo de relações e de ação.
    Aprendamos para esclarecer.
    Entesouremos para ajudar.
    Engrandeçamos-nos para proteger.
    Eduquemo-nos para servir.
    Com o ato de fazer e dar alguma coisa, a alma se estende sempre mais além...
    Guardando a bênção recebida para si somente, o espírito, muitas vezes, apenas se adorna, mas, espalhando a riqueza de que é portador, cresce constantemente.
    Na prestação de serviço aos semelhantes, incorpora-se, naturalmente, ao coro das alegrias que provoca.
    No ensinamento ao aprendiz, liga-se aos benefícios da lição.
    Na criação da boas obras, no trabalho, na virtude ou na arte, vive no progresso, na santificação ou na beleza com que a experiência individual e coletiva se alarga e aperfeiçoa.
    Na distribuição de pensamentos sadios e elevados, converte-se em fonte viva de graça e contentamento para todos.
    No concurso espontâneo, dentro do ministério do bem, une-se à prosperidade comum.

    Dá, pois, de ti mesmo, de tuas forças e recursos, agindo sem cessar, na instituição de valores novos, auxiliando os outros, a benefício de ti mesmo.
    O mundo é caminho vasto de evolução e aprimoramento, onde transitam, ao teu lado, a ignorância e a fraqueza.
    Aproveita a gloriosa oportunidade de expansão que a esfera física te confere e ajuda a quem passa, sem cogitar de pagamento de qualquer natureza.

    O próximo é a nossa ponte de ligação com Deus.

    Se buscas o Pai, ajuda ao teu irmão, amparando-vos reciprocamente, porque, segundo a palavra iluminada do evangelista, “se alguém diz: - eu amo a Deus, e aborrece o semelhante, é mentiroso, pois quem não ama o companheiro com quem convive, como pode amar a Deus, a quem ainda não conhece?”

    Mesmo no encontro e desencontro de narraveis eventos futebolistiscos, a soma das experiencias, aproveita....

    ResponderExcluir
  12. "Um governo que apóia todas as ditaduras do mundo não deve estar com boas intenções futuras".
    J.Morgado

    De absoluto acerto sua afirmasção acima.
    Sou mais antigo que você, pois, em 30 e 34, eu jã estava aqui. Mesmo assim com mais tempo, não aprendi a enteder de futebol, assunto que você domina.
    O que me parece importar é que torço para o Brasi com enfase e orgulho.
    Amigo Morgado, muito bom seu texto.
    Garcia Netto

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde, amigos e amigas!

    Olá, J. Morgado!

    É um privilégio, sem dúvida, você ter acompanhado tantas Copas do Mundo, cada uma com as suas particularidades. Nas que vencemos, alegria e comemoração. Nas que fracassamos, tristeza e decepção.

    De qualquer maneira, é um acúmulo fantástico de informação, conhecimento e emoção.

    A primeira Copa de que me lembro e participei ativamente foi a de 70.
    Quanta emoção! Acompanhávamos os jogos da Seleção pela TV. Como ainda não havia muitos aparelhos em Santiago, os vizinhos da rua se reuniam em minha casa. Era uma festa só! Ainda recordo da grande carreata, dos foguetes e da gritaria a cada gol. Celebrávamos, também, a presença do lateral Everaldo, do Grêmio, que era titular da canarinho...

    Poderia ter ido à Copa de 78, na Argentina, pois Buenos Aires fica perto de Santiago, onde moro - quase na fronteira de Brasil e Argentina, mas como era ano da minha formatura em Jornalismo e eu estava fazendo estágio, não foi possível.

    Belas Copas também foram as de 1994 e de 2002.

    Espero que esta Copa também nos traga alegrias, em que pese a pose sorumbática de Dunga, que prefere desarmonizar ao invés de confraternizar...

    Abraços a todos e aproveitem o dia, preparando o espírito e a voz para torcermos, todos juntos, amanhã, pelo BRASIL!

    ResponderExcluir
  14. LUIZ ANTÔNIO DE QUEIROZsegunda-feira, 14 junho, 2010

    Caro amigo J. Morgado,

    Não tenho paixão pelo futebol, mas quando vem a copa não dá para deixar de acompanhar os jogos.
    Valeu a retrospectiva das principais copas. Faço uma pergunta: Será que a copa de 50, em que o Brasil já se dava por campeão; já estava "pisando alto", como se diz na gíria; teve que passar por essa prova de humildade para não se deixar contaminar e por a perder a missão que lhe estava reservada: de ser o Coração do Mundo e a Pátria do Evangelho?

    Abraço Fraterno,

    Luiz Antônio de Queiroz,
    Agora em São Sebastião do Paraíso

    ResponderExcluir
  15. Olá Amigos

    Boa tarde

    Obrigado a todos pelas palavras carinhosas.
    Em 1950, a comoção foi geral.
    O Brasil como disse o Edward, tinha quase tudo para ter sido o campeão daquela copa. Faltou o quase (lembram-se uma crônica com o título “QUASE” de minha autoria – pode ser encontrado aqui no blog).
    É provável que o excesso de otimismo tenha desequilibrado o time. Mas, o destino tece seus meandros.
    Talvez aquela derrota tenha servido como lição para que a seleção brasileira conseguisse o sucesso que tanto a esperava. 1958, 1962, 1970, 1994 e 2006. E agora 2010 e 2014. Esta última data será como um acerto de contas. Quem sabe a final não seja com a equipe azul celeste.

    Um abraço

    Paz. Muita Paz.

    J. Morgado

    ResponderExcluir
  16. Da Copa de 1958 eu sómente me lembro da coleção de caixinhas de fósforo, daquelas tipo "flip-top" com as fotos dos jogadores. Eu tinha 6 anos e ganhei a coleção de meu irmão. Pendurei as caixinhas na parede de meu quarto, amarradas em um barbante. Agora, a de 62 eu vibrei! Lembram-se do Amarildo que substituiu o Pelé?
    Abraços
    João Batista

    ResponderExcluir
  17. Olá Amigos

    Aqui estou novamente.

    Acredito que nunca mais houve uma recepção igual ao que o povo paulista prestou a Seleção Brasileira em 1958.
    Centenas de milhares de pessoas nas ruas centrais ficaram aguardando com ansiedade a seleção passar.
    Um espetáculo inesquecível.
    Nem mesmo a chegada dos pracinhas brasileiros após o término a Segunda Guerra trouxe tanta gente as ruas para uma homenagem.

    Paz. Muita Paz.

    J. Morgado

    ResponderExcluir
  18. Salmo do Dia - Salmo 91
    1 Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Todo-Poderoso descansará.
    2 Direi do Senhor: Ele é o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio.
    3 Porque ele te livra do laço do passarinho, e da peste perniciosa.
    4 Ele te cobre com as suas penas, e debaixo das suas asas encontras refúgio; a sua verdade é escudo e broquel.
    5 Não temerás os terrores da noite, nem a seta que voe de dia,
    6 nem peste que anda na escuridão, nem mortandade que assole ao meio-dia.
    7 Mil poderão cair ao teu lado, e dez mil à tua direita; mas tu não serás atingido.
    8 Somente com os teus olhos contemplarás, e verás a recompensa dos ímpios.
    9 Porquanto fizeste do Senhor o teu refúgio, e do Altíssimo a tua habitação,
    10 nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda.
    11 Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos.
    12 Eles te susterão nas suas mãos, para que não tropeces em alguma pedra.
    13 Pisarás o leão e a áspide; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente.
    14 Pois que tanto me amou, eu o livrarei; pô-lo-ei num alto retiro, porque ele conhece o meu nome.
    15 Quando ele me invocar, eu lhe responderei; estarei com ele na angústia, livrá-lo-ei, e o honrarei.
    16 Com longura de dias fartá-lo-ei, e lhe mostrarei a minha salvação.

    O meu palpite para o jogo de amanhã é, Brasil 5 x Coreia 0.

    Joaquim Godofredo Hilário

    Cidade de Deus - SP.

    ResponderExcluir
  19. Senhor Morgado, meu avô, quando contava para meu irmão mais velho a história da derrota do Brasil nesta Copa de 50 no Rio de Janeiro, chegava a chorar, coitado. Não se conformava de perdermos o título em casa. Eu ficava perto, ouvindo, era muito pequena, mas lendo hoje sua crônica lembrei-me dele. Faleceu há mais de 10 anos e deixou muita saudade. Gostoso ler, nesta época de Copa, textos como o seu, parabéns.

    Edward, meu palpite para o jogo de amanhã entre Brasil e Coreia do Norte é 2 x 2.

    Obrigada,

    Anna Claudia - Uberaba - MG

    ResponderExcluir
  20. Na Copa de 50 eu tinha 5 anos, não lembro de nada, mas li bastante sobre a "tragédia". O Brasil tinha tanta certeza da vitória, que fez pose para fotos antes do jogo já com a faixa de campeão. Não se humilha um adversário dessa forma. Merecemos a lição, definitiva.
    Beijos!
    Milton Saldanha

    ResponderExcluir
  21. A Copa do Mundo, que começou em 30, tem muitas histórias engraçadas, uma delas de Leônidas da Silva, citado hoje nesta crônica de J. Morgado. Acredito que poucos sabem que foi ele o autor do gol mais estranho da Copa. E foi validado. A chuteira de Leônidas arrebentou num jogo da Copa, se não me engano em 38 e o juiz não percebeu o jogador descalço em campo. A bola veio e Leônidas não perdeu a chance de mandar para o gol. Pesquisem que devem encontrar alguma coisa sobre o assunto. Possivelmente até descubram contra quem, Leônidas da Silva marcou o gol.

    Outra curiosidade. Poucos ouviram falar sobre João Coelho Netto. Era filho do escritor Henrique Coelho Netto, fundador da cadeira 2 da Academia Brasileira de Letras (ABL) e membro da velha boemia literária do Rio de Janeiro no início do século XX. Seu apelido era Preguinho. Anote para não esquecer. Preguinho foi o autor do primeiro gol do Brasil em Copas do Mundo, em 1930, contra a antiga Iugoslávia. O Brasil perdeu o jogo por 2 x 1. Outro dado para quem gosta de história. Até hoje, o Brasil marcou 201 gols em copas, O.K.?

    Um recado para quem ainda não deixou seu palpite sobre o jogo de amanhã entre Brasil e Coreia. Só vale até às 14 horas de amanhã, tudo bem? Postem seus comentários ainda hoje e boa sorte.

    Um forte abraço a todos...

    Edward de Souza

    ResponderExcluir
  22. Nossa, Edward, vc é uma verdadeira enciclopédia ambulante de futebol. Eu fiz questão de ler duas vezes para não me esquecer. Amanhã, durante o jogo aqui em casa, com todos reunidos, vou fazer essas perguntas aos homens, quero ver quem vai respondê-las. Quem marcou o primeiro gol do Brasil em Copas, quem marcou um gol sem chuteiras e quantos gols o Brasil marcou até hoje em Copas. Com as três crônicas postadas no blog já aprendi muito e vou dar um show nos homens. Esta de hoje do Senhor J. Morgado é história pura das Copas. Que Deus conserve sempre sua memória para nos trazer mais relatos como este, Senhor J. Morgado.

    Bjos a todos, já dei meu palpite.

    ResponderExcluir
  23. Boa noite Amigos

    O Edward trouxe uma série de curiosidades sobre a história do futebol.
    Agora vou fazer uma pergunta: Quem ficou famoso na Copa de 1938 por suas bicicletas?

    Um abraço

    Paz. Muita Paz

    J. Morgado

    ResponderExcluir
  24. Senhor J. Morgado, eu fui até a sala perguntar para o pai quem fez o gol de bicicleta (é isso?), na Copa. Fiquei curiosa pensando, podia entrar de bicicleta no campo naqueles tempos? Papai me explicou o que era bicicleta e morreu de rir de mim. Ele mandou eu responder que foi o Leônidas da Silva, está certo? Estou acompanhando todas as crônicas do blog e quero ganhar a camisa do Brasil. Vou dar meu palpite: Brasil 2 e Coreia 0.

    Bjos

    Solange Martins - Ribeirão Preto - SP.

    ResponderExcluir
  25. Olá Solange

    Como seu avô, estou morrendo de rir. Valeu garota.
    Leônidas da Silva foi o “ciclista da copa”.

    Um carinhoso abraço

    Paz. Muita Paz.

    J. Morgado

    ResponderExcluir
  26. Olá Amigos


    Outra pergunta: Quem ficou conhecido como o “Diamante Negro” em uma das copas?


    Paz. Muita Paz.

    J. Morgado

    ResponderExcluir
  27. Boa noite Crianças.
    J.Morgado e Edward,vocês são abençoados mesmo hein! que memória,grande parte das pessoas não conseguem lembrar de tanta coisa assim.
    Parabéns,graças á vocês conhecemos um pouco mais sobre a história das copas.
    Beijossssssssssssss.

    ResponderExcluir
  28. Olá Padre Euvídio.
    O Clóvis BBL mandou dizer que você é muiiiito legal e que ele admira muito sua pessoa.
    Abraçosssssssssssss.

    ResponderExcluir
  29. Chiiiiii... Senhor J. Morgado, eu não saberia responder o de bicicleta nem essa sua pergunta sobre o Diamante Negro. Agora, se for o chocolate Diamante Negro, sei lhe explicar desde a cor do papel que o envolve até o sabor, principalmente o crocante, que eu adoro. Li sua crônica de hoje e os comentários para aprender um pouco sobre Copa do Mundo. Só não tenho coragem de opinar, com receio de dar uma tremenda "rata". Um amigo meu de faculdade pediu para que eu cumprimentasse vocês pelas postagens dos resultados todos os dias. Ele, Marcelo, falou que a noite vem ao blog para atualizar a tabelinha que tem com os jogos da copa. Marca todos os resultados, me mostrou.

    Eu ainda não dei meu palpite e quero ganhar a camisa do Brasil. Olha, acho que o Brasil vai ganhar de 3 x 1 da Coreia, e o Kaká vai marcar dois gols.

    Bjos.

    Priscila - Metodista - SBC

    ResponderExcluir
  30. Juliano

    Você é mesmo um exemplo de vida.
    Espéramos que assista ainda muitas Copas..
    Te adoramos
    Amigos da Casa da Memória de Mongaguá

    ResponderExcluir
  31. Boa noite, senhor J. Morgado. Estou ao lado do homem que mais conhece futebol no Brasil, meu pai, sãopaulino roxo, por isso, vou responder sua pergunta. O "Diamante Negro" era o apelido do Baltazar, correto? Lendo as crônicas do blog, com um acompanhante assim, quando terminar essa Copa da África vou estar tchan sobre futebol. Vou dar o meu palpite sobre Brasil e Coreia, claro, perguntando para o papai. Ele costuma acertar todos os resultados. Vamos a ele: Brasil 0 x Coreia do Norte 0. Ruim, não? quero que o Brasil ganhe, mas como desprezar o palpite de um entendido?

    Bjos

    Martinha - Metodista - SBC

    ResponderExcluir
  32. Olá Martinha

    Boa noite

    Você e seu papi erraram. Baltazar ficou conhecido como a “Cabecinha de Ouro”. Mais uma oportunidade tá?

    Um carinhoso abraço

    Paz. Muita Paz.

    J. Morgado

    ResponderExcluir
  33. Pessoal, está uma delícia esse blog em festa nesta Copa do Mundo. Estava lendo o texto do senhor Morgado e pude entender que a razão de tanta euforia em épocas de Copa vem de muito longe. Desde 50, quando o Brasil perdeu o título aqui. Eu penso que tem muitos países como o Brasil, "vidrados" em futebol. Basta ver os sites, com as fotos dos torcedores dos países que jogaram nestes dias. Os argentinos eu sei, porque estive lá na Copa de 2006, a passeio, e parava tudo para acompanharem os jogos que estavam sendo realizados no Japão e Coreia. Os argentinos são fanáticos como nós, brasileiros, podem acreditar. Além de torcerem para a seleção deles, adoram torcer contra a nossa. Tomara que saiam fora logo desta Copa.
    Vou dar meu palpite, também sou filha de Deus que quero participar;
    Brasil 2 x Coreia 1.

    Bjos

    Fabiana - Metodista - SBC

    ResponderExcluir
  34. Papi pediu desculpas, senhor J. Morgado. Disse que o "Diamante Negro" era o Leônidas da Silva, o mesmo que entrava em campo de bicicleta (rsrsrsrsrsrsrs).

    Bjos,

    Martinha

    ResponderExcluir
  35. Olá Martinha


    São pessoas como você que nos incentivam a continuar informando.
    Hoje ri a socapa por suas tiradas.

    Uma feliz noite para você menina.
    Tenha bons sonhos.

    Um abraço

    Paz. Muita Paz.

    J. Morgado

    ResponderExcluir
  36. No festival de perguntas, quero ver quem mata esta, de bastidores e para entendidos na matéria: Qual foi o craque que estava no banco de reservas, durante a Copa, e só foi escalado por pressão dos jogadores em cima do técnico?
    Milton Saldanha

    ResponderExcluir
  37. Pois bem, Milton Saldanha.
    O craque que estava no banco e foi escalado sob pressão dos jogadores, atendia pelo nome de Mané Garrincha. O técnico, em questão, era Vicente Feola, aborrecido com as irreverências do ponta do Botafogo do Rio, o colocou no banco de reservas. Nilton Santos comandou a pressão para ver Garrincha em campo. Vicente Feola, técnico do Brasil em 58, era do São Paulo F.C.

    Abraços...

    Edward de Souza

    ResponderExcluir
  38. Pelé só conseguiu jogar a Copa de 58 porque Dida, do Flamengo, titular absoluto da posição, se contundiu. Pelé o substituiu, para a sorte do futebol brasileiro.

    Edward

    ResponderExcluir
  39. Seção "Quem é, quem é: Qual foi o grande craque que jogou e perdeu três copas do mundo?
    João Batista

    ResponderExcluir
  40. Zico, do Flamengo!
    Abraços, João...

    Edward

    ResponderExcluir
  41. Lendo alguns dos comentários postados aqui hoje, tive a iniciativa de pedir permissão ao meu mestre Dr Miguel Arcanjo (professor de medicina e psiquiatria da universidade de São Paulo), para analisar na visão da ciência, por que algumas pessoas tentam inverter um assunto totalmente ligado em futebol, e conseqüentemente levam para o lado religioso.
    Descobrimos recentemente que a parte frontal do cérebro é responsável pelo comportamento emotivo. Talvez essas pessoas tivessem sido vitimas de alguma lesão ainda na tenra idade.
    A locomoção involuntária de algumas partículas do encéfalo para áreas não apropriadas podem causar conflitos de entendimentos, levando o individuo a uma obsessão alucinatória temporal indeterminada.
    A ligação sistemática temporariamente abalada fica sem comunicação por que não consegue ultrapassar as fissuras dos hemisférios.
    Esses fatores são primordiais para aprisionarem o paciente em uma letargia cômica abusiva de caráter repreensivo e insolente.
    Portanto a análise previamente estruturada aconselha a pessoa tomar duas vezes por dia um choque de cento e dez volts por trinta segundo na área frontal.
    Essa terapia irá induzir o encéfalo mórbido a reações de comunicação com as áreas afetadas.

    Até breve!
    DR. Sebastião Honório. CRM. SP. 9991

    ResponderExcluir
  42. Caro Edward de Souza: esqueci de avisar que você estava proibido de dar a resposta. Fazer essas perguntas para você é dar moleza demais. Então vou jogar uma nova, e esta sim para você: Qual foi a moça famosa que entrou no vestiário (no meio dos jogadores pelados) depois de uma vitória na Copa e se enfiou com roupa e tudo embaixo do chuveiro, com seu amado?
    Espero que você não tenha lido o livro, seu safado, senão não te pego.
    Abração!
    Milton Saldanha

    ResponderExcluir
  43. Já que a coisa empolgou derivando para peguntas testes, quem no começo dos anos 50 deu o ponta pé incial de um fla flu no Maracanã?
    Bonita demais (...) cheirosa demais. gostosa demais?
    Garcia Netto

    ResponderExcluir
  44. Será que foi a Martha Rocha?
    João

    ResponderExcluir
  45. Fico com a Carmen Miranda, João. É chute, não sei ao certo. Quanto a resposta do Milton, aparentemente ele me pegou, mas tenho cá, no fundo de minha memória que essa famosa era a Xuxa, quando namorava o Pelé, ou a Suzanna Werner, atual esposa do goleiro Julio Cesar. São perguntas de bastidores do futebol, por isso as respostas ficam difíceis de serem respondidas.
    O livro que você me pergunta se eu li, Milton, por acaso seria "Estrela Solitária", de Ruy de Castro? Se for, já li e tenho ele comigo. 513 páginas com a biografia de Garrincha. Um espetáculo de leitura. Quem não leu, corra e compre o livro, vale a pena. E faz tempo que foi lançado. Creio que no começo do novo século, ano 2000. Comprei na Livraria Saraiva, ao lado do prédio onde eu morava, no centro de Santo André. Neste livro, se eu não me esqueci, Ruy de Castro não cita nenhuma famosa tomando banho de roupa nos vestiários.

    Abraços...

    Edward de Souza

    ResponderExcluir
  46. Acho que foi a "Pequena notável", mesmo! Ela ficou muitos anos sem vir ao Brasil e quando aqui chegou, meteram o pau nela, dizendo que havia "voltado americanizada".
    Será? Fala ai, meu caro Garcia Netto!!
    João

    ResponderExcluir
  47. Esse clima de copa sempre nos faz lembrar das anteriores. Águas passadas mais que ainda geram assuntos intermináveis... hehe Pelo que vejo você é mestre nesses assuntos futebolísticos. Rs
    ;**

    ResponderExcluir