sexta-feira, 18 de junho de 2010


AMAI VOSSOS INIMIGOS

Recentemente assisti ao filme “INVICTUS”, com Morgan Freeman (do qual sou fã de carteirinha) e Matt Damon (outro ator fabuloso). A película foi dirigida pelo não menos talentoso Clint Eastwood.
Mais uma vez, Nelson Mandela, o homem que lutou contra a apartheid na África do Sul, é o centro deste filme. O outro filme (anterior) é “Luta pela Liberdade”. Igualmente magnífico.

Depois de ser libertado do cárcere, torna-se presidente do país. Um de seus primeiros atos foi o PERDÃO para os que se julgavam seus inimigos. Usou toda sua inteligência e carisma para conseguir o consenso geral para a PAZ. Único caminho para o desenvolvimento e integração racial.

Com uma visão muito particular, eu diria profunda, viu no esporte nacional do país, o rúgbi (que teve origem na Inglaterra) na época só praticado pelos brancos e em total descrédito, uma forma de aproximar as duas raças.
Os Negros queriam o desmantelamento do time nacional (ou seleção) e quase conseguiram se não fosse a intervenção do “Missionário da Paz”.

Com muito tato, Mandela não só conseguiu manter o escrete como influenciar o capitão do time a se empenhar para o progresso e fortalecimento dos atletas. O resultado desse empenho foi o primeiro lugar no pódio do Campeonato Mundial realizado no país. Um passo gigantesco para integração das duas raças.
Como amar a quem nos quer mal? Mesmo que tenhamos ultrapassado muitas barreiras, e já estarmos em condições de não odiar o próximo, ainda assim nos sentimos com dificuldade em lidar com o ódio que nos é dirigido. Podemos dizer que é um direito nosso, ou que se trata apenas de defesa. Mas é forçoso reconhecer que o coração se rebela, e que o sentimento de vingança muitas vezes espera apenas pela hora mais oportuna.

Nelson Mandela, perseguido pelos seus ideais e encarcerado por 27 anos, soube dar a “volta por cima”, pregando a paz e o perdão.

O país ainda levará algum tempo para se integrar racialmente. Mas, o grande passo foi dado por um homem que foi destinado pela providência a fazer isso. Um missionário? Acredito que sim.

Com um esforço inaudito e com o reconhecimento internacional dos feitos de Mandela, A África do Sul conseguiu sediar a 19ª. Copa do Mundo de Futebol. Lindos estádios e toda uma infraestrutura criada que servirá para alavancar ainda mais o progresso, não só físico como moral.

O esporte usado politicamente com sabedoria apesar do “cartolismo” serviu e servirá para a transformação pacífica de um povo dividido por questões raciais.

Os ideais do Barão de Coubertin, criador dos Jogos Olímpicos da Era Moderna foram lembrados com propriedade e os resultados foram magníficos.

Seria Nelson Mandela religioso? Não importa.

Nascido no seio de uma tribo africana e cursando uma universidade adventista na Inglaterra, se viu pensador.

“Seja qual for o Deus eu sou o mestre do meu destino e capitão da minha alma”. Notem a profundidade deste pensamento:
“Nosso grande medo não é o de que sejamos incapazes/Nosso maior medo é que sejamos poderosos além da medida/É nossa luz, não nossa escuridão, que mais nos amedronta/Nos perguntamos: “Quem sou eu para ser brilhante, atraente, talentoso e incrível?”/ Na verdade, quem é você para não ser tudo isso?.../Bancar o pequeno não ajuda o mundo/Não há nada de brilhante em encolher-se para que as outras pessoas não se sintam inseguras em torno de você/E à medida que deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo”. (Discurso de posse, em 1994).

Como seria o mundo se tivéssemos mais estadistas como esse? Certamente estaríamos em paz!

Para finalizar, transcrevo abaixo um trecho do item 4 do Capítulo XII do Evangelho Segundo o Espiritismo.

“Para o crente, mas para o espírita, sobretudo, a maneira de ver é diferente, porque ele considera o passado e o futuro, entre os quais a vida presente não é senão um ponto; sabe que, pela própria destinação da Terra, deve prever encontrar nela homens maus e perversos; que as maldades das quais é alvo fazem parte das provas que deve suportar, e o ponto de vista elevado em que se coloca, lhe torna as vicissitudes menos amargas, venham elas dos homens ou das coisas; se ele não se queixa das provas, não deve murmurar contra aqueles que delas são os instrumentos; se, em lugar de se lamentar, agradece a Deus por experimentá-lo deve agradecer a mão que lhe fornece a ocasião de provar sua paciência e sua resignação. Esse pensamento o dispõe naturalmente ao perdão; ele sente, por outro lado, que quanto mais é generoso, mais se engrandece aos próprios olhos e se acha fora do alcance dos golpes malevolentes do seu inimigo”.
Paz. Muita Paz.
------------------------------------------------------------------------------------
*J. Morgado é jornalista, pintor de quadros e pescador de verdade. Atualmente esconde-se nas belas praias de Mongaguá, onde curte o pôr-do-sol e a brisa marítima. J. Morgado participa ativamente deste blog, para o qual escreve crônicas, artigos, contos e matérias especiais. Contato com o jornalista: jgarcelan@uol.com.br
-----------------------------------------------------------------------------------
RESULTADOS DOS JOGOS DESTA SEXTA-FEIRA (18-06), PELA COPA DO MUNDO DE FUTEBOL, NA ÁFRICA DO SUL:
ALEMANHA 0 X SÉRVIA 1
ESLOVÊNIA 2 X ESTADOS UNIDOS 2
INGLATERRA 0 X AUSTRÁLIA 0
----------------------------------------------------------------------------------

33 comentários:

  1. Bom dia, amigos e amigas!

    Na semana passada, propus a J. Morgado que dedicasse o assunto do seu artigo quinzenal à Série A COPA NO BLOG, escrevendo sobre o heroi nacional sul-africano Nelson Mandela, um homem ímpar, reconhecidamente um apóstolo da PAZ. Ele aceitou o desafio e produziu mais uma pérola - AMAI VOSSOS INIMIGOS - mostrando que dor, injustiça e sofrimento podem ser transformados em perdão, se a alma não for pequena.

    Ao mesmo tempo em que estou feliz, por ter a prerrogativa de ler e admirar o texto sempre sensível e transformador de J. Morgado, fiquei triste ao saber do falecimento do grande autor português José Saramago, um dos meus escritores preferidos que, à sua maneira, também lutou, com todas as forças, para a Paz.

    Mas, vamos em frente! Todos somos responsáveis por construir um mundo melhor, tal qual Nelson Mandela e José Saramago!

    Um abraço a todos e aproveitem o dia!

    ResponderExcluir
  2. A minha letárgica consciência só foi capaz de entender a grandiosidade do líder Nelson Mandela depois que eu li essa formidável crônica.
    Isto serviu para aguçar a minha curiosidade a respeito desse estadista.
    Vou procurar me informar mais a respeito desse grande homem.

    Padre Euvideo.

    ResponderExcluir
  3. Preparando o amanhã...

    Se já percebeste que o berço não é o início e que o tumulo não é o fim, não desprezes a preparação do amanhã, a fim de que não se interrompa a tua cainhada para diante...
    Planta o bem agora, para que o bem te felicite depois.
    Somos infinitamente insignificantes para abranger, por enquanto, as dimensões totais do Universo. Amebas pensantes, apesar dos lauréis da inteligência que já nos assinalam a vida, não podemos ainda apreender toda a largueza do horizonte que nossos olhos contemplam a enorme distância.
    Seres humildes, situados ainda no começo da escala que nos conduzirá à compreensão da verdade integral, achamo-nos inabilitados a supremas definições...
    Mas o bem será invariavelmente o guia que nos orientará o passo na jornada, a fim de que o "agora" dilua as sombras do pretérito, acendendo a luz que brilhará para a nossa felicidade no grande futuro.
    Na realidade todos nos colocamos no Eterno Presente.
    O instante que passa é a nossa oportunidade valiosa de realizar.
    Entretanto, analisemos a qualidade da nossa realização porque o Hoje imperecível se alargará nos círculos do tempo, convertendo-se em amanhã, compelindo-nos a recolher a alegria ou o sofrimento, os espinhos e as flores que estivermos semeando...
    Assim sendo, permaneçamos atentos à grande mensagem do Céu que flui na Terra, através do ensinamento de todos os grandes instrutores do mudo, mensagem que em todos os santuários nos exorta à bondade que é fundamento da Eterna Lei.
    O mal é desequilíbrio que nos constrange à recuperação, desarmonia que nos convoca ao reajuste, treva que nos induz à demora indefinida nas aflições purgatoriais.
    O bem, contudo, é a subida para o Trono da Sabedoria e do Amor e, movimentando-nos dentro dele, atingiremos a edificação plena da Consciência Cósmica, dentro da qual, alcançaremos, com Jesus, a divina ressurreição, após desvencilharmo-nos da cruz de nossos compromissos com as experiências inferiores.
    Desse modo, prepara o teu veiculo do porvir, desde agora, situando o vaso de teus sonhos o forno do trabalho, no bem incessante, para que o fogo na luta digna, através do esforço próprio e do próprio sacrifício, te aperfeiçoe as esperanças e fixe o teu sublime ideal, porque, assim, o teu corpo de amanhã será um carro leve, subtil, em que o teu espírito avançará, com mais segurança, na direção da Grande Luz.

    ResponderExcluir
  4. Olá bom dia Edward, estou fazendo uma matéria para revista enfoque sobre a relação dos francanos com blog e por sorte encontrei o seu com conteúdo maravilhoso, enquadra-se direitinho no que preciso usar, queria algumas informações. se for posível ficaria muito contente, meu número é 9220-0585 Atenciosamente,

    ResponderExcluir
  5. Ah, Meu Deus! Esse Eduardo aí de cima!!
    Daquí a pouco eu volto para ler e comentar o artigo quinzenal do Juliano Morgado. Tenho que entrar via Explorer pois as letras escabrosamente grandes tornam-se ilegível.
    Estou fazendo carne seca com abóbora, alguém gosta?
    Até logo mais
    João Batista

    ResponderExcluir
  6. J. Morgado e Nívia.
    A lembrança neste momento de botar em foco o líder Mandela, foi muito acertada e feliz. Não haveria hora melhor.
    Se elogiável a lembrança, valioso o que ela produziu na sabedoria de J. Morgado: um belo texto fixando aspectos do comportamento, ação e conduta do lider negro no desejo de igualdade e paz, defendidos com absoluta pertinácia.Parabens.
    Garcia Netto

    ResponderExcluir
  7. Ótima essa crônica de J. Morgado, com algumas curiosidades que eu desconhecia deste grande líder africano. Um delas a informação de que Mandela cursou uma universidade Adventista na Inglaterra. Alguns tios meus são adventistas do Sétimo Dia e frequentam essa igreja, aqui em Ribeirão Preto.
    E que legal, gente. A Juliana quer um contato com o Edward para fazer uma reportagem sobre o blog. E é um dos melhores mesmo da Internet, merece ser melhor divulgado.

    Bjos,

    Tânia Regina - Ribeirão Preto - SP.

    ResponderExcluir
  8. Senhor J. Morgado

    Mandela, o homem exemplo. Por que não segui-lo?

    Que Deus o abençoe

    Maria Monge

    Marinque - SP

    ResponderExcluir
  9. Senhor J. Morgado

    Mandela, o homem exemplo. Por que não segui-lo?

    Que Deus o abençoe

    Maria Monge

    Marinque - SP

    ResponderExcluir
  10. Ilustre amigo e grande articulista J.Morgado: Parabéns pela exaltação da figura de Nelson Mandela. Idem para a Nívia Andres, que teve a brilhante idéia. Quando o líder africano visitou São Paulo, há alguns anos, o governador era o Fleury e a prefeita a Erundina. Eu trabalhava no Diário do Grande ABC como repórter especial e reivindiquei a cobertura, só pela chance de curtir aquele momento, com Mandela ao vivo. Era um frio de arrebentar, naquela manhã, e ele chegou sem agasalho, em Congonhas. O governador mandou buscar correndo um sobretudo do seu próprio guarda-roupa, eles tinham estaturas semelhantes. A simplicidade e serenidade do Mandela me deixaram impressionado. Ele ainda não era presidente, foi eleito depois. Nenhum jornalista conseguiu entrevistá-lo, os caras não permitiram uma coletiva, foi tremenda sacanagem, não só com a imprensa, mas principalmente com os leitores, privados das opinões de Mandela. No Palácio dos Bandeirantes ficamos no saguão enquanto ele se reunia a portas fechadas com o governador. Depois a comitiva seguiu para audiência com Erundina, no gabinete do Ibirapuera. Tirei do pescoço e escondi meu crachá de repórter credenciado, estava de terno e gravata, encostei em um assessor do Mandela, conversando em inglês, bem alto, para confudir a segurança, e desta forma entrei na audiência, na sala da Erundina. Foi muito engraçado, porque ninguém ali sabia quem eu era. E também ninguém perguntou. Com minha idade, passando por "senhor", ficava fácil. Me convidaram para a mesa, onde estavam as autoridades e tradutores. Tremi na base, temendo ser descoberto, e apenas agradeci com um gesto polido, sem abrir a boca, e indicando que ficaria ali ao lado, fora da mesa, com os assessores. Ufa! E desta forma fui o único jornalista a acompanhar toda a reunião, que durou cerca de uma hora. É claro que não fiz anotações, me concentrei para memorizar tudo na hora de escrever. Como entendia em inglês, e havia ainda tradução, ficou bico registrar. Lá pelas tantas entrou a Laís, nossa colega querida, que era assessora de imprensa da Erundina. Quando me viu ficou apavorada e me perguntou baixinho: "Santo Deus, o que você está fazendo aqui?" Respondi, também baixinho: "Fica quieta, consegui entrar e a audiência já está terminando". A Laís foi legal, não me entregou, e foi continuar suas tarefas. E assim vivi uma das boas e inesquecíveis aventuras da minha carreira de repórter.
    Beijos!
    Milton Saldanha

    ResponderExcluir
  11. Olá Saldanha

    Foi muito agradável saber dessa sua aventura jornalística.
    Um feito memorável que deve ser do conhecimento (como está sendo) de todos.
    O blog fica mais enriquecido com essa sua reportagem descrita com o HOMEM-PAZ.

    Parabéns

    Paz. Muita Paz.

    J. Morgado

    ResponderExcluir
  12. Talvez eu seja do contra. Leiam o comentário do jornalista Milton Saldanha acima. Isso é ser humilde? Mandela certamente, quando esteve em São Paulo, sabia que sua segurança estava obstruindo o trabalho jornalístico e nada fez. Entrou blindado e saiu blindado. Por isso, D. Maria Monge, acho que não devemos segui-lo. Um homem com maior importância que Mandela andava em lombo de jumentos com o povo ao seu redor, caso de Jesus Cristo. E não me diga que os tempos eram outros. Jesus nasceu perseguido pelos romanos e viveu assim, até ser preso e crucificado. Nunca teve seguranças para guardá-lo. Acredito que Nelson Mandela tenha sido um bom homem. mas não mostrou isso em suas andanças pelo mundo.

    Birola - Votuporanga - SP.

    ResponderExcluir
  13. hi.. just dropping by here... have a nice day! http://kantahanan.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Caro Birola: você usou o termo certo, blindaram o homem. O Mandela não teve culpa de nada, todo o esquema de segurança foi montado pelo governo do Fleury. E digo mais: não havia a menor necessidade. A reunião que testemunhei, de penetra, como repórter esperto (pois não havia como cobrir aquela visita, sem alguma ousadia), não teve nada, absolutamente nada, que não pudesse ser visto e ouvido por um milhão de pessoas. Eram exageros tolos das autoridades, desnecessários. Tudo bem, a imprensa tumultua, eram centenas de jornalistas na cobertura, o gabinete da Erundina era pequeno. Então poderiam ter colocado um telão para a turma acompanhar de outra sala. E absurdo, repito, foi não nos proporcionar uma coletiva. Mas o Mandela, coitado, passou o dia correndo de um lugar para outro, simplesmente seguindo o que foi programado para ele. No aeroporto de Congonhas, por exemplo, fiquei junto de um grupo de movimento negro a manhã toda, esperando o avião. Num frio tremendo. Aí o Mandela foi levado pelo Fleury para um aceno e palavrinhas rápidas ao pessoal. Era o mínimo, né.
    Abraço!
    Milton Saldanha

    ResponderExcluir
  15. Hoje resolvemos analisar a mente do senhor Juliano Morgado.
    Por se tratar de uma mente brilhante, mais uma vez tive que pedir ajuda ao conceituado professor e médico da Universidade de São Paulo (Dr. Miguel Arcanjo) que prontamente nos atendeu.
    Começamos pela maneira como o nosso interpelado pensa a respeito da santificação de um homem.
    No conceito do J. Morgado, uma simples ação já é o suficiente para mandar o individuo para o céu.
    Por exemplo: O magnífico Nelson Mandela consegui unificar as raças branca e negra, deixando um legado primordial para a paz entre os povos africanos, embora tenham um caminho longo ainda pela frente.
    É verdade que Mandela falou muitas coisas bonitas, o que já foi suficiente para o Morgado reservar um pedacinho especial no céu, para Mandar o Mandela.
    Conceituar alguma coisa é um indispensável primeiro passo para entendê-la.
    Assim, faz-se mister que a gente se conscientize de que a complexidade do assunto “pensamento abstrato” já começa pela própria dificuldade em definir o que é “pensamento” e o que é “abstrato”.
    Outro exemplo: O marqueis, era um cidadão que tinha uma vida sexual promiscua, e dessa promiscuidade brotava sentimentos de ordem psicossomática nos relacionamentos “duradouros”, gerando sofrimento para os cônjuges.
    Outro distúrbio do marqueis, era o alcoolismo desenfreado que constantemente lhe colocava em situações absurdas e humilhantes, porem não conseguia cortar as amarras com o vício.
    O motivo que na visão do J. Morgado o Marqueis ganhou um pedacinho no céu foi justamente o testamento póstumo que ele deixou com forma de arrependimento.
    A psiquiatria explica essas concepções de pensamentos santificados do nosso Juliano Morgado, pela conduta exemplar que ele deixa transparecer nos seus atos e pensamentos altruísticos, enxergando com bondade o astral etéreo, que ele queria que as criaturas que tanto ama freqüentasse após o desenlace carnal.
    Nós vamos até aonde a ciência psiquiátrica nos autoriza. Daí pra frente cabe a filosofia revelar.
    O Cérebro estimulado pela introspecção religiosa emana ondas imperceptíveis aos nossos meios de captá-las.
    Portanto chegamos à conclusão que é impossível dar um diagnóstico preciso da brilhante mente do senhor Juliano Morgado.

    Dr. Sebastião Honório- C.R.M. 9991.
    Médico psiquiatra.

    ResponderExcluir
  16. Querido Morgado, obrigada pela linda crônica.Paz, muita paz.

    ResponderExcluir
  17. Olá, J.Morgado!
    Você tem uma forma suave de apresentar suas ideias e crenças, sem ser impositivo. A doutrina do perdão é uma das mais difíceis de serem compreendidas ou aceitas.Como perdoar aqueles que nos prejudicam e querem nosso mal?
    Esse entendimento é natural para quem conhece e pratica a doutrina espiritualista pois sabemos que nada é por acaso. Tudo é reflexo de nossos atos nesta ou em outras existências. A capacidade do perdão nem sempre é nata, podendo ser adquirida com o exercício da tolerância, paciência e sobretudo com a ausência do orgulho.
    Poderia dizer mais, porém o espaço é teu.
    Abraços
    João Batista Gregório

    ResponderExcluir
  18. Boa noite crianças.
    J.Morgado você como sempre abrilhantando ainda mais esse espaço, amei a sua crônica,já conhecia um pouco a trjetória e a luta de Nelson Mandela,mas há algumas peculiaridades que eu desconhecia.
    Sem dúvida esse homem é um exemplo a ser seguido,tendo em vista que mesmo depois de tudo que passou ele ainda mostra um coração puro,alegre, e ao que parece não guarda ódio no coração, e sabe perdoar com a alma.Nelson Mandela escreve frases lindíssimas, e todas tocam o coração.
    Parabéns Edward,J.Morgado,Nívia Andress e a artista do blog que está cada vez mais lindo a minha amiga Cristina Fonseca.
    Olá João A DO RO carne seca com abóbora, se quiser mandar uma marmitinha pelo sedex para Franca.KKK.
    Olá Juliana gosto muito da revista Enfoque,ela traz diversidade de assuntos,gostei da sua idéia, divulgue esse blog,tenha certeza que é o melhor,mais cultural e mais democrático,mas por favor,assim que sair a matéria me dê um alô.
    Abraçosssss a todos.

    ResponderExcluir
  19. Senhor J. Morgado, parabéns pela crônica!
    Acabo de receber, com atraso, a chamada de sua matéria, enviada pelo Edward. Olha, realmente a vida e história de Nelson Mandela nos mostra como vale à pena lutar pelos nosso ideais. Ele é um exemplo para todos nós. Parabéns à Africa e parabéns à humanidade, por ter um guerreiro chamado Nelson Mandela. Quem quer saber mais sobre a relação desse homem com o esporte, já que estamos em plena Copa do Mundo na Terra de Mandela, que veja o filme INVICTUS, que o Senhor J. Morgado assistiu e citou em seu texto, é mto legal.

    Bjos a todos e um bom final de semana!

    Giovanna - Unifran - Franca - SP.

    ResponderExcluir
  20. Oi J.Morgado, políticos de verdade, como Nelson Mandela, lutam por causas justas, sempre pensando em uma humanidade também mais justa. Um outro filme excelente que trata do período da prisão de Nelson Mandela se chama Goodbye Bafana. Recomendo a todos deste blog a assistir. Vale a pena, assim como Invictus.

    Bjos,

    Tatiana - Metodista - SBC

    ResponderExcluir
  21. Bom dia amigo-irmão J. Morgado!
    Desculpe-me pela ausência no primeiro dia da postagem deste seu brilhante artigo. E o título deste seu texto não poderia ter sido melhor escolhido: "Amai vossos inimigos". Ao receber o Prêmio Nobel da Paz em 1993 junto com Frederik de Klerk, então no governo da África do Sul, Mandela abraçou o seu último carcereiro e fez com aquele gesto simbolizasse o perdão dos perseguidos aos seus perseguidores, e afirmou publicamente a sua amizade com de Klerk.

    Nelson Mandela, meu caro Morgado, mesmo aprisionado durante quase três décadas, resolveu que não iria guardar rancores ou mágoas dos seus algozes, e com isto deu uma lição importante de vida que nos serve de exemplo.

    Essa frase de Mandela tenho guardada comigo faz algum tempo e com ela termino meu comentário: "Nosso medo mais profundo não é de sermos inadequados. Nosso medo mais profundo é de sermos poderosos além da medida. É nossa luz, não nossa escuridão, o que mais nos assusta. Nós nos perguntamos: “Quem sou eu para ser brilhante, interessante, talentoso e fabuloso???” Na verdade, quem é você para não ser??! Você é filho de Deus. Você fazer papel de pequeno não serve ao mundo. Não tem nada de iluminado em se encolher de forma que outras pessoas não sintam ou vejam sua presença...

    Nós nascemos para manifestar a glória de Deus que está dentro de nós. E não está só em alguns de nós, está em todo mundo. E quando a gente deixa a nossa própria luz brilhar nós, inconscientemente, damos a outras pessoas permissão para fazerem o mesmo. Quando a gente se liberta dos nossos medos nossa presença automaticamente liberta os outros."

    Um bom final de semana a todos...

    Edward de Souza

    ResponderExcluir
  22. Linda essa frase, Edward. Como é excelente este texto de J. Morgado.
    Eu estava pensando exatamente nisso esta semana de tantos jogos pela Copa do Mundo na África do Sul. Pensei em como Mandela deve se sentir uma pessoa realizada, já que ele viveu para ver as mudanças pelas quais lutou a maior parte de sua vida. Ver os estádios hoje lotados pela população negra da África do Sul é algo muito especial para esse grande líder, mesmo com a tristeza por ter perdido no dia da inauguração da Copa sua bisneta de 13 anos. fiquei emcionada ao ver a abertura quando ele se retirou por conta do falecimento de sua bisneta.

    O hino da África do Sul é lindo, pois ele tem duas partes: uma cantada em duas línguas dos povos negros (xhosa e sesotho)e outra em duas línguas dos povos brancos (inglês e africânder (o idioma dos sul-africanos descendentes de holandeses). Claro que muita coisa para ser mudada lá e que não são fáceis de mudar. Mas temos que celebrar o que já foi conquistado.

    Um lindo fim de semana a todos e vamos torcer pelo Brasil amanhã.

    Bruna - UFJF - Juiz de Fora

    ResponderExcluir
  23. Bom dia J. Morgado!
    Eu sou fã de Martinho Lutero Reis (também conhecido como Martin Luther King) e de Nelson Mandela, bem como de seus ideais de igualdade. Como o Edward postou em seu comentário essa frase linda de Mandela, lembrei-me de um poema escrito pelo líder negro que, com a sua permissão, mostro agora. É lindo, vale a pena ler:

    Nosso maior medo
    não é o de sermos incapazes.
    Nosso maior medo
    não é de sermos muito fortes.
    Não são nossas trevas
    mas é nossa LUZ
    o que nos assusta mais.

    Afinal, ninguém se pergunta:
    Quem sou eu para ser um dia
    infinitamente irradiante, atraente,
    cheio de talentos e poderes?
    por que não?

    Você é realmente um filho de Deus ?
    Por mais que você se diminua,
    que se torne menor do que você é,
    o mundo não será melhor por isso
    e não devemos de forma alguma, inspirar dúvidas.

    Nascemos para transmitir
    o esplendor divino que está dentro de nós.
    Não somente em alguns
    Mas em todos nós.

    Se deixarmos brilhar nossa LUZ, inconscientemente,
    damos aos outros permissão para que façam o mesmo.
    Se nos libertarmos de nosso medo.
    Nossa presença libertará
    os outros, automaticamente.

    Obrigada!

    Regina Yara - Franca - SP.

    ResponderExcluir
  24. Olá Amigos
    Bom dia
    Procuro sempre em meus artigos ou crônicas transmitir um recado de esperança e paz. Fico feliz de quase sempre alcançar esses objetivos. A tolerância, a indulgência e a paciência não são apenas simples substantivos. É muito mais do que isso. Em nosso dia-a-dia, devemos praticar (ou pelo menos tentar) essas virtudes. Garanto a todos os leitores deste blog (que é hoje uma referência nacional) que graças a minha já longa existência pude constatar a veracidade do que estou escrevendo neste momento. Um testemunho vivencial!
    Abaixo uma frase de Nelson Mandela:
    “Seja qual for o castigo que sua crença considera justo para me impor pelo crime pelo qual fui condenado ante esta corte, tenha certeza de que quando minha sentença for completada, ainda serei compelido pelo o que os homens sempre são; pela consciência”.
    Obrigado
    Paz. Muita Paz.
    J. Morgado

    ResponderExcluir
  25. Miguel Falamansasábado, 19 junho, 2010

    Boa tarde, caro J. Morgado!
    Sem dúvida, suas crônicas neste blog são especiais e sempre carrega em suas linhas o recado de esperança e paz, como nesta do fim de semana. Meus cumprimentos.
    Permita-me apenas, dentro da democracia que existe neste blog, discordar do Birola, da cidade que conheço, Votuporanga. Nelson Mandela, caro Birola, teve uma missão como político e apaziguador nesta Terra que cumpriu com extrema capacidade, deixando-nos só bons exemplos. Jesus Cristo teve a sua no campo espiritual, mas como Mandela, em sua mensagens e parábolas, somente pregou a paz e o perdão. Tenho certeza que D. Maria Monge não estava comparando Cristo com Mandela, mas sim a atitude idêntica na luta pela paz e pelo perdão aos inimigos, que os dois deixaram como exemplos nesta Terra. Exemplos, caro Birola, que devem sim, ser seguidos por todos nós,

    Bom fim de semana!

    Miguel Falamansa - Botucatu - SP.

    ResponderExcluir
  26. Joaquim Tadeu de Mellosábado, 19 junho, 2010

    "Ninguém nasce odiando outra pessoa
    pela cor de sua pele,
    ou por sua origem, ou sua religião. (eu aqui acrescentaria também orientação sexual)
    Para odiar, as pessoas precisam aprender,
    e se elas aprendem a odiar,
    podem ser ensinadas a amar,
    pois o amor chega mais naturalmente
    ao coração humano do que o seu oposto.
    A bondade humana é uma chama que pode ser oculta,
    jamais extinta."
    Nelson Mandela.

    Juquinha - M.G.

    ResponderExcluir
  27. "Ainda há gente que não sabe, quando se levanta, de onde virá a próxima refeição e há crianças com fome que choram."

    Nelson Mandela

    ResponderExcluir
  28. "Sonho com uma Africa em paz consigo mesma." [Nelson Mandela]

    ResponderExcluir
  29. Meu caro Morgado.
    Perdoe-me por voltar a postar alguma coisa, já que meu hábito é de uma única presença em cada matéria.
    Peço vênia para fazer referencia a nossa artilharia da paz composta pelo triunvirato, equilíbrio, tolerância e sabedoria, encarnados em Edward, Nívia e Cris. Orgulho-me por estar aqui na introdução do saber de nosso blog na modesta qualidade de aluno, que pretende aplicado, ir absorvendo as lições de alto teor em disciplina, cidadania e respeito aos valores alheios.
    Embora em raríssimos momentos, alguns deslizes ocorram por absoluta vaidade em afirmar-se valores pessoais fora da pauta do autor do dia, o resultado apresenta-se positivo. É verdade que o espírito vaidoso pode comprometer o objetivo final do blog que é construir.
    Analisemos a sabedoria das postagens de hoje com relação a Nelson Mandela. Em determinado momento sua imagem era ensaiada por pontos desairosos e isolados de um que, quase levou outros a seguir suas pegadas. No entanto, o excelente nível do blog, coibiu o avanço de malfadado comportamento que nada acrescentaria as nossas publicações dignas do apreço geral pela qualidade do conteúdo construtor.
    A partir daí as postagens carregaram alta dose de civismo, disciplina e respeito quanto ao foco que dava crédito somente a duas figuras: Mandela e J. Morgado.
    Leiam: Giovana postou no dia 18, Tatiana dia 18, Edward 19, (Amai vossos inimigos), Bruna 19, Regina Yara 19, J. Morgado (veja frase de Mandela último parágrafo), Falamansa 19, Juquinha MG (as pessoas não nascem com a cultura do mal ou do bem), elas aprendem), e, por fim, leiam as frases de Mandela.
    Acho que nosso blog vem fazendo escola. Sem raiva, sem ódio, com elevação, sem vaidade, façamos dele tribuna da verdade com paz e harmonia. Abraço do Garcia Netto.

    ResponderExcluir
  30. Martin Luther Kingsábado, 19 junho, 2010

    "Aprendemos a voar como pássaros, e a nadar como peixes, mas não aprendemos a conviver como irmãos."
    Martin Luther King

    ResponderExcluir
  31. O único homem que não erra é aquele que nunca faz nada"
    O único homem que não erra é aquele que nunca faz nada"
    Roosevelt

    ResponderExcluir