sexta-feira, 19 de março de 2010


OS HOMOSSEXUAIS NA MÍDIA


Ultimamente, a mídia vem abordando, com muita ênfase, casos de homossexualidade no Brasil e no mundo. No dia 24 de maio de 2009, o programa “Domingo Espetacular”, levado ao ar pela TV Record, mostrou um garoto de sete anos que, desde os dois, insistia em se comportar como menina. Os pais dessa criança aceitaram a situação, não por conhecerem ou não o problema existencial “homossexualidade”, mas simplesmente por ser aquela criatura filho e, por essa razão, merecer todo o amor e proteção que um ente gerado por eles deve merecer.

Entretanto, a sociedade hipócrita e preconceituosa, não aceita que indivíduos violem leis ou regulamentos que eles acham corretos.


No caso, um colégio católico recusou rematriculá-lo no ano letivo, alegando seu comportamento estranho de querer ser e se comportar como uma menina.

Jornalistas fizeram uma enquete nas ruas e as respostas foram as mais diversas e surpreendentes. Não tão surpreendentes! Algumas responderam que o colégio agiu certo, pois seus filhos (dos entrevistados) deveriam ser protegidos. Outros acharam errada a postura da escola e outros, ainda, não tinham opinião.

A TV Bandeirantes mostrou nos dias 25 e 26 do mesmo mês, outra grande reportagem envolvendo jovens travestis. Só que desta vez, o sensacionalismo não foi levado muito em conta. O sentido social foi o mais importante! Uma rede criminosa chefiada por um bandido que, logo em seguida, foi morto em São Paulo pela polícia, em uma troca de tiros no dia 26 de maio.

Os meninos, todos menores de idade, eram aliciados no Pará, estados do Nordeste, Minas Gerais, etc. Depois de se submeterem a tratamentos hormonais, eram levados a se prostituirem nas ruas de São Paulo e outras capitais.

Esses casos relatados, entre outros que se encontram na mídia quase todos os dias, são um preâmbulo para se falar sobre a homossexualidade e a incompreensão desse estigma pela sociedade e por eles mesmos.

Uma frase me chamou a atenção quando da entrevista de um desses “párias” da sociedade. Respondendo a pergunta de um repórter o travestido respondeu: “as pessoas não sabem de nada; vem da alma; eles não nos respeitam!” E eu, no sofá, diante da TV assistindo-o, respondi em pensamento: “você também não se respeita”.


O homem tem a resposta para todos de seus males há mais de dois mil anos. Infelizmente, o próprio homem, infeccionado pelo poder, deturpou essas respostas escondendo-as, resultando daí, um atraso na evolução da humanidade.

A ciência e os incrédulos de má vontade, insistem em ignorar a Codificação Espírita. Ali, naquele volume editado em 18 de abril de 1857 (“O Livro dos Espíritos”) e suas subsequentes edições em muitas línguas, estão as respostas para os muitos males que afligem a humanidade. Nos outros quatro livros que compõem o Pentateuco – “O Evangelho Segundo o Espiritismo, O Livro dos Médiuns, O Céu e o Inferno e a Gênese” – os ensinamentos se completam ou ensinam uma direção segura para que o homem possa encontrar respostas para curar ou pelo menos minorar os sofrimentos.

Emmanuel, através de Francisco Cândido Xavier, nos deu “Vida e Sexo”; Divaldo Pereira Franco, pelo espírito Manoel Philomeno de Miranda, o didático “Loucura e Obsessão; “Educação & Vivência”, psicografia de Raul Teixeira, etc.


Essas obras e muitas mais, nos dão respostas sobre o problema do sexo desvairado. No caso, a homossexualidade. Mas, infelizmente, o materialismo ou a “Porta Larga”, fala mais alto.


A sociedade e os próprios homossexuais não conseguem entender que “Deus não revoga suas próprias Leis”. Se eles resolvessem parar para raciocinar, veriam que esse problema é como disse o travesti acima, “da alma”. Só a reencarnação explica esse fenômeno.

Psicólogos, psiquiatras, terapeutas e outros que se dizem entendidos, e de plantão, dão entrevistas na mídia sugerindo soluções. Outros, religiosos e não religiosos, mas ignaros em conhecimentos, sugerem soluções absurdas e sem nexo.


A medicina espírita progride e é cada vez maior o número de associações médicos-espíritas espalhadas pelo Brasil e pelo mundo. Daí, uma sugestão para aquele que quer realmente se encontrar na vida presente; procure um psiquiatra ou psicólogo espírita.


O Livro dos Espíritos, na Questão 200 e seguintes, nos elucida a respeito do sexo dos espíritos. A partir da Questão 330, fala sobre o “Retorno à Vida Corporal”. “Obstáculos à Reprodução” que começa na Questão de número 693, nos dão mais luz a respeito do que estamos abordando.


O que se entende de tudo isso é que, quando um homem ou mulher, retorna ao mundo corporal em sexo diferente daquele daquele que gostaria de ser ou está acostumado em encarnações anteriores, é resultado de uma vida sexual desvairada. A agressão sobre si e ao próximo extrapolou os limites. Daí, o retorno a pedido e às vezes compulsoriamente a um sexo diferente daquele em que praticou o desvario.


Os homossexuais perguntariam o que fazer? A resposta é muito clara. Se a provação é a de resgatar o que está inserido no perispírito ou consciência como quiserem, abstenham-se.


O que não pode e não deve acontecer é mergulhar novamente na alucinação do sexo. A prova pode se repetir em outras encarnações com agravantes terríveis. Basta olhar a sua volta para se ter uma idéia aproximada do sofrimento do próximo.

Alguns nascem cegos, outros sem audição, sem poder andar, sem poder falar, etc. Expiações e provas para resgatar débitos anteriores. Por que o controle da libido não está entre essas provações?

Insistindo nos erros cometidos no pretérito, em subsequentes encarnações, os homossexuais, entre outros, poderão ter suas situações agravadas cada vez mais. Assim, outros problemas poderão surgir até que, “lapidados” dessas imperfeições grosseiras, voltem a evoluir.

Termino, desejando aos nossos irmãos homossexuais forças, fé, amor ao próximo e firmeza quanto aos seus propósitos de vencer as tentações que os levaram à situação atual.


“A vida é realmente simples. Nós é que insistimos em
torná-la complicada” (Confúcio)

------------------------------------------------------------------------------------
*J. Morgado é jornalista, pintor de quadros e pescador de verdade. Atualmente esconde-se nas belas praias de Mongaguá, onde curte o pôr-do-sol e a brisa marítima. J. Morgado participa ativamente deste blog, para o qual escreve crônicas, artigos, contos e matérias especiais. Contato com o jornalista pelo e-mail jgarcelan@uol.com.br
-------------------------------------------------------------------------------------

47 comentários:

  1. Bom dia, amigos e amigas!

    O aguardado artigo quinzenal de J. Morgado chega polêmico, afinal, o autor aborda o homossexualismo à luz da doutrina espírita, examinando alguns eventos veiculados pela mídia.

    O homossexualismo enfrenta preconceito pesado na sociedade, por isso, o tema hoje desenvolvido por J. Morgado presta-se à discussão, principalmente se examinado a partir da ótica do articulista.

    Então, avante, participem!

    Um abraço e tenham um bom dia!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia amigos (as) deste blog...
    Um abraço afetuoso ao querido amigo-irmão J. Morgado, que nesta sexta-feira aborda um assunto polêmico. Como não gosto de ficar em cima do muro, não posso deixar de dar minha opinião, lembrando que esse blog é democrático e todos os comentários precisam ser respeitados. Meses atrás, em São Paulo, a “Parada do Orgulho Gay” arrastou cinco milhões de pessoas para a Avenida Paulista, atraiu 327.000 turistas, 5% deles estrangeiros e, ainda, de acordo com levantamentos feitos na ocasião, pode ter gerado uma média de 13.500 empregos diretos e indiretos e mobilizado 52 setores da economia. O sucesso foi tanto que o coordenador do evento se entusiasmou e comparou a parada gay ao movimento das “Diretas Já” uma série de manifestações a favor da eleição direta para presidente que levou milhões de brasileiros para as ruas entre 1983 e 1984.

    Quem sou eu para contestar esses números, mas sou radicalmente contra a comparação com as “Direta Já”, feita pelo tal coordenador do movimento gay, para mim, no mínimo absurda e desrespeitosa. Só falta ele dizer que Deus é a favor do homossexualismo! Que o Diabo é quem proíbe! Fica claro. Apesar do papel de presente que convenientemente esconde o que os ativistas gays pregam, basicamente eles querem viver no que acreditam. Mais do que nunca, eles estão saindo do armário e encorajando e até forçando outros homossexuais a sair do armário. Mas embaixo do papel de embrulho está escondida a essência de sua agenda, que é simplesmente conquistar respeitabilidade social para o suposto direito de um homem ter relações sexuais com outros homens. Para eles, é exatamente esse ato que é motivo de tanto orgulho.

    Oras bolas, até concordo que se grite contra uma injustiça social, que se desça a avenida porque os salários são de miséria, que se faça greve porque não há pagamentos, que se use o luto porque somos escravizados, enfim, que se reclamem os direitos que nos são negados. Que eu saiba, ser hetero ou gay, não é um direito, não se adquire nem se escolhe, como se escolhe um emprego, um país para viver, uma mulher para casar ou um filme que se quer ver. Reclamar o direito a ser gay é uma redundância. A sexualidade humana não é motivo de orgulho ou de vergonha, muito menos motivo para desfiles. A sexualidade hetero ou homo é uma inerência e enquanto isso não for entendido, haverá sempre lugar para manifestações ridículas venham elas de onde vierem.

    Um forte abraço a todos...

    Edward de Souza

    ResponderExcluir
  3. Sr. J. Morgado

    Esclarecedor como sempre o seu artigo de hoje.
    Divaldo Franco e Chico Xavier, médiuns dedicados, com larga experiência no trato do Espiritismo, consideram o homossexualismo um gerador de angústias.

    Muita obrigada por mais uma lição.

    Maria Monge

    Mairinque-SP

    ResponderExcluir
  4. Ôi J. Morgado, bom dia a todos!
    O Edward levantou a lebre sobre as paradas do orgulho gay que hoje atraem tanta atenção das emissoras que é muito difícil ligar num canal de TV que não esteja dando cobertura ao evento… O apoio é descarado. As menções às paradas são sempre em tom elogioso. O argumento mais forte é o de que se trata de um grupo marginalizado, uma minoria, uma franja social que ainda é remetida para terceiro plano ao nível dos afetos. É verdade. Infelizmente. Daí a considerar-se que essa minoria atinge “maioridade” em cima de camionetas ou em abraços no meio da avenida, parece-me pouco elegante. Espera-se que os homossexuais tenham garantidos o respeito que lhes é devido, mas que estes também respeitem determinados parâmetros e não façam as pessoas aceitarem de forma agressiva seu modo de ser. Penso por exemplo, que a chamada "Parada do Orgulho Gay" atrai muito mais antipatia do que simpatia à causa, se é que podemos chamá-la assim.

    Beijus,

    Tatiana – Metodista – SBC.

    ResponderExcluir
  5. Um bom dia a todos!
    Começo meu comentário sobre o artigo desta sexta de J. Morgado com uma pergunta: afinal, o sexo se faz com o corpo ou com a alma? O orgasmo é um prazer físico, e o corpo apodrece inteirinho debaixo da terra. Onde fica o pecado? Na alma? Mas alma não faz sexo! Sigo meu pensamento também em relação às mulheres lésbicas, bem mais discriminadas que os homens gays. Os homossexuais usam o corpo do modo que gostam mais. Ora, se essa tendência sexual existe desde que o mundo é mundo e se a ciência não tem uma resposta para esse comportamento, o preconceito só se justifica pela total ignorância. Fica provada, mais uma vez, a força do preconceito, principalmente contra as mulheres, nesse último Big Brother Brasil, quando o público, em sua grande maioria votou contra a Angélica, declaradamente lésbica. O Dicésar participou do mesmo paredão e, mesmo sendo gay assumido, recebeu só 7 por cento dos votos. O público foi para cima de Angélica com fúria. Afinal, ela é só uma mulher que ousa trilhar um caminho sexual diferente. É preciso, acima de tudo misericórdia, perdão e compreensão para com os homossexuais assumidos, e não simplesmente julgar, como faz a maioria.

    Abçs

    Fabiana M. Rangel – PUC – São Paulo

    ResponderExcluir
  6. Bom dia Senhor J. Morgado, gostaria de lhe fazer uma pergunta. O que preciso fazer nesta Terra para não me reencarnar como um travestí? Não se trata de preconceito, como muitos afirmam, mas morro de medo que isso possa acontecer comigo, porisso queria receber seus conselhos para evitar que eu nasça homossexual em outra existência.

    Obrigado

    Fabinho - Erechim/RS

    ResponderExcluir
  7. Olá Fabinho

    Bom dia

    Nós espíritas, acreditamos que o nosso comportamento atual é o que fomos no pretérito. E o nosso comportamento atual, determinará o que seremos no futuro.
    Assim sendo, a luxúria e o desrespeito para o sexo oposto poderiam influir nas próximas reencarnações com todas suas implicações.

    Um abraço

    Paz. Muita Paz.

    J. Morgado

    ResponderExcluir
  8. Meus amigos.
    Meu apreciado e competente autor.
    Tenho o dever de afirmar que o ilustre amigo pisou em terreno minado. Também devo reconhecer que assuntos polêmicos nem sempre podem ser evitados. Estamos diante de um deles com alta preocupação da sociedade, seja os contra ou, os que o apóiam.
    No dia 2 de março passado, meu artigo no Comercio da Franca com o título “Putas & putos a guisa de criticar uma excrescência (a meu ver) chamada BBB, citou Houaiss na definição de puto. Meu alvo não era a palavra homossexual e sim:
    Regionalismo: Brasil. Uso: tabuísmo, pejorativo.
    indivíduo velhaco, de mau caráter; sacana (incluindo apresentador e promotores).
    Valeu-me na Carta dos leitores a qualificação de preconceituoso, que não sou, no entanto, defendo o direito de quem o disse.
    Não tenho cátedra para entrar na discussão espiritualista que você defende, embora alimente simpatia pelo assunto. Leio bastante sobre o tema, incluindo a coluna do Felipe Salomão no Comercio.
    Andei lendo os comentários postados e me detive curioso na Tatiana com “o apoio é descarado”, referindo-se a mídia (concordo). As perguntas da Fabiana, alguma com que me pactuo, a posição do Edward. E a reencarnação do Fabinho?
    Amigo Morgado, se o espiritismo afirma que homossexualidade vem para resgatar devassidão anterior, daqui a pouco as populações do mundo estarão embarcadas no desvarío.
    Não sou preconceituoso, reafirmo, e não entro nas fileiras daqueles que aprovam a união oficial (casamento) entre pessoas do mesmo sexo. Se magistrado não concederia adoção de crianças a referidos casais.
    Eu teria outras questões a colocar sobre espiritualidade. Fica para o futuro.
    Sua publicação é oportuna e, se discutida de maneira parlamentar muito válida.
    Abraço do Garcia Netto

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde Juliano !!!

    Diante de tudo isto, fato é que por trás de tantos sorrisos e gargalhadas, a homossexualidade convive com a dor cotidiana, pois não existe realização, a luta contra a propria natureza (representação das leis divinas) nunca poderá conduzir a felicidade.
    No entanto, gostaria de deixar bem claro que a homossexualidade é desvio d'alma, como qualquer outros desvio, vicio, entre eles os que mais conduzem a desordem espiritual refletindo no corpo fisico como o orgulho e o egoismo. Nos estamos aqui, neste mundo de provas e expiações, para vencer as miserias que vivem dentro de nos, assim como nossos irmãos de todas as matizes...
    Mas meu amigo, nunca poderemos discorrer do assunto da homoafetividade, sem distinguir dois fatores, que apesar de serem confundidos, caminham para angulos diferentes, são eles:
    Homossexualidade e a luxúria (no sentido pejorativo)
    Enquanto na homossexualidade (tema generico) encontramos muitas criaturas dignas, que tudo fazem para vencer as tendencias, não se entregando aos desvairios, assim como nos, lutam para se engrandecerem perante a escada da vida!
    Luxuriosos que se entregam aos desvairios, arrastando consigo quanto mais puderem, criando um rastro de devassidão, dor e sofrimento pela indignidade...
    Aos amigos de todo genero, a devassidão é uma chaga na humanidade, mas o preconceito é doença cronica!!

    ResponderExcluir
  10. A medicina explica com clareza disturbios genéticos e pessoas que tem um corpo feminino por exemplo perfeito, lindo e no entanto muitas vezes sem os orgãos da procriação possuem, muitos tipos de distúrbios físicos que justificam muito dos comportamentos ditos homossexuais. Há que separar o que é distúrbio físico, de problemas mentais e ou psicológicos. O resto é prostituição da alma.
    Porém, a sociedade atual está corrompida em vários aspectos sociais e humanos.
    A Bíblia relata que ao ser destruida Sodoma estava prostituida de tal maneira que o homossexualismo ali imperava, preferindo êles homens a mulheres, vejam o texto:
    "GN 19:4 - E antes que se deitassem, cercaram a casa, os homens daquela cidade, os homens de Sodoma, desde o moço até ao velho; todo o povo de todos os bairros.
    GN 19:5 - E chamaram a Ló, e disseram-lhe: Onde estão os homens que a ti vieram nesta noite? Traze-os fora a nós, para que os conheçamos.
    GN 19:6 - Então saiu Ló a eles à porta, e fechou a porta atrás de si,
    GN 19:7 - E disse: Meus irmãos, rogo-vos que não façais mal;
    GN 19:8 - Eis aqui, duas filhas tenho, que ainda não conheceram homens; fora vo-las trarei, e fareis delas como bom for aos vossos olhos; somente nada façais a estes homens, porque por isso vieram à sombra do meu telhado.
    GN 19:9 - Eles, porém, disseram: Sai daí. Disseram mais: Como estrangeiro este indivíduo veio aqui habitar, e quereria ser juiz em tudo? Agora te faremos mais mal a ti do que a eles. E arremessaram-se sobre o homem, sobre Ló, e aproximaram-se para arrombar a porta.
    GN 19:10 - Aqueles homens porém estenderam as suas mãos e fizeram entrar a Ló consigo na casa, e fecharam a porta;
    GN 19:11 - E feriram de cegueira os homens que estavam à porta da casa, desde o menor até ao maior, de maneira que se cansaram para achar a porta. "
    Enfim, nossa sociedade não está ficando igual ?
    Sem Deus o mundo tende a se tornar um inferno como se tornou Sodoma e Gomorra.
    Com certeza J morgado o mundo precisa mudar e voltar aos valores de Deus.

    Anfermam

    ResponderExcluir
  11. Aproveito para acrescentar entendimento a alguns questionamentos comentados aqui nesta matéria sobre homossexualismo.
    A Fabiana perguntou onde fica o pecado?
    Primeiro eu quero explicar o que é pecado no meu entendimento: cada vez que o ser humano comete uma imprudência contra o outro estará retirando ou melhor diminuindo de alguma forma a felicidade da outra pessoa. Não temos o direito de subtrair nem um segundo de vida de ninguém, muito menos da nossa. Exemplo : quando traimos a alguém e esta pessoa sofre ao saber da traição , estará perdendo momentos de felicidade de sua vida e até diminuindo a sua própria vida pelas doenças psicosomáticas derivadas.
    Quando o patrão não paga ao trabalhador o seu devido suor subtrai o alimento, o remédio, a alegria de uma família.
    E tantos outros exemplos poderemos citar.
    Assim o pecado é sinônimo de perda de vida.
    Daí Jesus Cristo dizer:
    "Eis que vim, para vos dar vida em abundância"
    Onde ficará o pecado?
    Ficará contigo, aquele que cometeu a imprudência contra a vida. Deus preserva a vida e quer que nós a tenhamos para sempre.
    Só há uma maneira de se regenerar, segundo a Bíblia: Pelo poder do sangue de Jesus vertido na cruz , invocando este poder e se arrependendo verdadeiramente dos atos cometidos imprudentemente e claro não os cometendo mais.
    Se isto não fôsse verdade, hoje o mundo não teria evoluido.
    Esta questão, êste gancho, dado por nosso amigo J Morgado é muito bom pois nos ajuda a pensarmos melhor em nossas vidas, para uns transitória, para outros definitiva, importa em qualquer das situações que vivamos os ensinos de Nosso senhor Jesus Cristo, como sei J Morgado ser um dos grandes seguidores.
    Parabéns J Morgado por empreender esta jornada de ensino as nossas vidas.

    Anfermam

    ResponderExcluir
  12. Professor Fernando Soutellosexta-feira, 19 março, 2010

    Boa noite a todos!

    A questão das relações homossexuais é tão antiga quanto o mundo é mundo. O homossexualismo está presente em várias regiões do mundo, em todas as latitudes, civilizações e culturas. Em alguns, a prática é plenamente aceita; noutras, por questões meramente culturais, a forma de encará-lo é dimetralmente oposta. É o caso da civilização ocidental. A influência da religião judaico-cristã, que vê o sexo como uma forma de ensejar a procriação é marcante e as nossas sociedades, em maior ou menor grau discriminam aqueles que o praticam. Entretanto, é uma realidade, está presente entre nós e necessita ser encarada como um fator cultural das sociedades, sem discriminações, pois o sexo, manifestação peculiar a todos os animais, não pode ser considerado sob o viés da discriminação. Todo homem é dono do próprio destino e deve usar o corpo como deseja. A opção sexual é uma das manifestações da liberdade do ser humano.

    Professor Fernando Soutello, chefe de Cerimonial do Governo de Sergipe.

    ResponderExcluir
  13. Boa noite J. Morgado!
    Homossexualismo, como disse Garcia Netto, é um assunto bastante delicado, perigoso, e nós, que estamos fora do contexto, abstemo-nos de opinar, às vezes, por preconceito, outras, por receio de desagradar. Na minha opinião, não se pode negar isso, o homossexualismo, quer queiram ou não, choca a sociedade. É esquisito, não é normal. E não sendo normal, é impossível ser legalizado. Ao mesmo tempo acho que é uma discriminação castrar o desejo e tirar toda possibilidade de felicidade de uma pessoa. É lícito, é justo sermos julgadores, fazer o papel de um Deus e tentar impedir que alguém seja feliz? Não. Se é o desejo, a poção, o karma de dois adultos livres, que a união seja legalizada, pelo menos não será mais um escândalo. Voltará à normalidade. Se as pessoas tivessem em casa um problema desses como o filho, um neto, pensariam duas vezes antes de apelar para a discriminação.

    Abçs

    Juliana - Metodista - SBC

    ResponderExcluir
  14. ANA CÉLIA DE FREITAS.sexta-feira, 19 março, 2010

    Boa noite J.Morgado.
    Texto pertinente e muito corajoso,sem dúvida esse é um assunto bastante delicado,e não vejo porque muitas pessoas desviam ou não gostam de falar sobre o mesmo.
    Achei contundente suas explicações na visão espírita,mas posso dizer que sou leiga no assunto.
    Na minha opinião,sinceramente não vejo nada demais as pessoas se relacionarem com pessoas do mesmo sexo,penso que deveriam sim ter o direito de se casarem,afinal a vida é deles e ninguém tem nada haver com isso,outro dia uma amiga me disse que tem muito medo do filho se tornar gay (a criança tem apenas 2 anos)mas que ainda assim seria melhor que se tornasse gay do que um viciado em drogas,meu Deus achei a comparação tão sem noção.Quanto a parada gay,realmente passa dos limites,sem dúvida é uma exposição um pouco extrema,mas acho que há problemas tão sério no Brasil para se resolver,e os governantes ficam discutindo se devem ou não ter direitos se houver a união entre os mesmos.
    Muitas pessoas veem nos homossexuais e lésbicas pessoas de caráter duvidoso,nada haver conheço alguns e são tão ou mais responsáveis que muitos que estão por aí e se dizem machão.o pior é saber que muitos continuam dentro do guarda roupa e com família e tudo.
    Abraços e Parabéns.
    ANA CÉLIA DE FREITAS.

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. It isn't hard at all to start making money online in the underground world of [URL=http://www.www.blackhatmoneymaker.com]blackhat system[/URL], It's not a big surprise if you haven’t heard of it before. Blackhat marketing uses alternative or not-so-known ways to build an income online.

    ResponderExcluir
  17. Essa frase de Arnaldo Jabor foi publicada em várias revistas e jornais do Brasil. Eu acho que ele tem razão, principalmente depois de ler a maioria dos comentários deste blog. Todo mundo defendendo o homossexualismo, ou com medo de ser contra, sei lá. Até as mulheres, como acham isso absolutamente normal, onde estamos! Leiam o que expressou Jabor sobre o assunto:

    "Antigamente, o homossexualismo era proibido no Brasil.

    Depois, passou a ser tolerado.

    Hoje é aceito como coisa normal…

    Eu vou-me embora antes que se torne obrigatório."

    Abçs

    José Piola - Bebedouro

    ResponderExcluir
  18. Amigos do blog de ouro, bôa noite.

    Vou ser o mais claro possivél em meu comentário.

    No artigo do mestre amigo Juliano Morgado, ele cita uma criança (menino)que acreditava e queria ser tratado como uma menina.Pois bem, se seus pais o tivessem criado como um MENINO,, que ele efetivamente éra,e com umas bôas palmadas, o mesmo não seria hoje,noticia de Televisão.

    Desculpem-me pela franquesa, mas pelo que todos nós, pessôas esclarecidas sabemos, segundo a Biblia Sagrada,Deus criou sómente ADÃO E ÉVA, E NÃO ADÃO E IVO !!

    "Terceiro séxo", é só safadeza e nunca poderá ser considerado doença,pois quando "elas" se juntam demonstram a felicidade em ser diferente, e ainda querem ser tratados com igualdade pelas pessôas normais.
    Isso é pura senvergonhice e umas bôas chicotadas dariam um ótimo resultado para ajudar a acabar com esse cancer da sociedade.

    Infelizmente em minha familia, tive um primo e um cunhado que éram gays e morreram de AIDS, não sem antes contaminar um certo numero de parceiros, idiotas como eles e que também já foram para o inferno.

    Tenho nojo desse tipo que para mim deveriam ser tratados como em muitos outros paises, com a pena de mórte.

    Desculpem, mas eu sou autentico e jamais mudaria meu pensamento para agradar quem quér que seja.

    Abraços a todos de nosso blog

    Tenham um ótimo final de semana

    Admir Morgado
    Praia Grande SP

    ResponderExcluir
  19. Caro amigo J. Morgado.
    Eu queria ter o poder de em poucas linhas, conseguir explicar o homossexualismo.
    Mas resumindo o homossexualismo, é fruto de insatisfação sexual.
    Por exemplo: Um homem ou mulher insatisfeito com os seus relacionamentos sexuais, que procuram dezenas ou mais de experiência sexuais, mesmo que não sejam homossexuais, mas visando prazeres que ainda não conhecem, são alvos de homossexualismos nas próximas encarnações, ou mesmo nessa.
    Esse é apenas um de milhares de exemplos.
    Outro exemplo claro é que um homem que usa os seus dotes físicos para escravizar o físico feminino. Torna-se um grande candidato para nascer em outra encarnação em um físico feminino, só para sentir na pele, e dar valor na estrutura física feminina, e na sua fragilidade.
    Mais um exemplo: Uma alma acentuadamente feminina reencarnada e enclausurada em um físico masculino poderá ter a tendência de ser um homossexual, e pagar com o resgate kármico essa situação vivida.
    O ideal é que o espírito encarnado desenvolva a personalidade de acordo com o físico que temporariamente ocupa no mundo material.
    Eu particularmente acho que o espírito equilibrado não tem sexo, ele corresponde de imediato à missão que tem que cumprir aqui na terra, independente das genitálias que carregam.
    Porem os atrasados sempre serão uns eternos insatisfeitos.
    Ai eu faço uma pergunta a todos vocês: O que sois?

    Padre Euvideo.

    ResponderExcluir
  20. Olá Amigos

    Abaixo, a transcrição de parte de um artigo de José B. Campos, cujo título é: “Homossexualismo é pecado?”.

    “O nosso estimado confrade, Divaldo Franco, certa feita, asseverou com muita propriedade: “Proibir e condenar, é sempre uma forma contraproducente de examinar uma questão existente, que merece orientação, educação e esclarecimento”.

    Um abraço a todos

    Paz. Muita Paz.

    J. Morgado

    ResponderExcluir
  21. Meu amigo-irmão J. Morgado, essa nota pode ser lida neste sábado no Portal Terra, com o título: "Papa Expressa Vergonha". Não encontrei a assinatura do autor do texto nem a agência que enviou a notícia, que transcrevo na íntegra:

    "O Papa Bento XVI expressou a "vergonha" e o "remorso" de toda a Igreja ante o escândalo de pedofilia no clero irlandês, anunciando iniciativas em favor "da cura e de uma renovação", segundo sua carta enviada aos católicos da Irlanda, publicada neste sábado. No documento, ele anunciou uma "visita apostólica", isto é a abertura de uma investigação em "várias dioceses da Irlanda", em "seminários" e "em congregações religiosas".

    A medida deverá ajudar a Igreja local "no caminho da renovação". Bento XVI também denunciou "os graves erros de julgamento" cometidos pelo episcopado irlandês, acusado de ter encoberto centenas de casos de pedofilia cometidos durante várias décadas por religiosos.

    O Papa se disse ainda "profundamente desolado" ante os sofrimentos das vítimas de abusos cometidos por padres, mostrando-se disposto a encontrá-las como o fez várias vezes (na Austrália e nos Estados Unidos, em 2008). No documento que será lido neste domingo em todas as paróquias irlandesas, Bento XVI afirma que os homens da Igreja culpados desses atos deverão "responder" não apenas "diante de Deus" mas ante a justiça comum."

    Os leitores (as) do blog podem comentar essa decisão do Papa que visa combater o homossexualismo e a pedofilia na igreja.

    Um forte abraço a todos...

    Edward de Souza

    ResponderExcluir
  22. Bom dia Edward e J. Morgado!
    Há uma forte tensão entre o mundo homossexual e a Igreja por conta da doutrina católica, que basicamente condena as relações homossexuais e o casamento gay. O Papa João Paulo 2º lançou em 1992 o Catecismo da Igreja Católica, um compêndio doutrinário com ampla divulgação. Segundo o Catecismo, a tradição cristã tem como base a Sagrada Escritura que considera os atos de homossexualidade graves depravações. Tais atos são “intrinsecamente desordenados”, contrários à lei natural e em nenhum caso podem ser
    aprovados. As pessoas homossexuais, portanto, são chamadas a viver a abstinência sexual.

    Em resposta a estas posições, vários militantes gays têm acusado a Igreja de minar a sua auto-estima, impondo um enorme sofrimento psíquico a milhões de homossexuais, além de estimular o ódio social contra eles. Só no Brasil, argumentam, um homossexual é assassinado a cada dois dias por pessoas homofóbicas. Quanto a essa posição tomada agora pelo Papa Bento XVI, divulgada pelo Edward e que será anunciada amanhã, visando coibir a pedofilia na igreja, termo encontrado para se evitar a palavra homossexualismo, na verdade nada mais é que uma satisfação ao fiéis, não creio que termine com o problema enraizado há séculos atrás dos muros dos fechados conventos e de muitas igrejas.

    Qual outra denominação se poderia dar a padres que praticam atos sexuais com garotos? São todos eles homossexuais, está claro. Qual o futuro desses garotos submetidos a constantes ataques sexuais? Conflitos de personalidade e facilmente muitos se transformam em gays. A igreja católica condena os homossexuais e os mantém em suas fileiras. Sabem o que penso? Padres deveriam se casar e constituir família, obedecendo o que está na Bíblia: "crescei-vos e multiplicai-vos". Com essa medida, garanto que diminuiria sensivelmente os casos de pedofilia na igreja.

    Bom fim de semana!

    Liliana Diniz - Santo André - SP.

    ResponderExcluir
  23. Miguel Falamansasábado, 20 março, 2010

    Doutora Liliana, encheu-me os olhos ler seu comentário lúcido, aceite meus cumprimentos. Os padres são chamados de pedófilos, porque atribuem a eles atos praticados só contra menores. Você está certa, são homossexuais enrustidos, porque existem mil e uma ocorrências de padres que transam entre si pelo mundo afora. E você acertou em cheio também quando disse que padres teriam que se casar, o homossexualismo na igreja diminuiria muito. Bem na mosca sua opinião, Liliana. E você deve saber porque os padres não se casam, não é? Sem herdeiros, tudo o que ganham na vida fica para a igreja, cada vez mais rica e dona de propriedades espalhadas pelo mundo afora. Tem ainda o Banco do Vaticano, onde está depositada uma verdadeira fortuna. Usando a metade do que tem, a igreja católica acabaria com a pobreza do mundo. E quem tem peito para cobrar isso? Mais uma que você foi bem e concordo ao abordar que o Papa vai se manifestar, de acordo com a postagem do Edward, nesse domingo, mas isso é apenas para inglês ver. Vai levantar a poeira e dar a volta por cima. Ou seja, tudo vai ficar como está.

    Abraços, Liliana, parabéns J. Morgado pelo texto e um bom final de semana a todos!

    Miguel Falamansa - Botucatu - SP.

    ResponderExcluir
  24. Padre Francisco Miguel Coimbrasábado, 20 março, 2010

    Prezados senhores deste respeitado blog formado por brilhantes jornalistas!
    Diante de manifestações favoráveis ao homossexualismo, parece-me oportuna uma abordagem do assunto, tranquila e serena, dirigida aos católicos à luz dos ensinamentos da Igreja nessa matéria. Esse tema, por vezes, provoca reações apaixonadas. Prevalece, no entanto, o dever de proclamar a verdade! Transcrevo o texto de D. Eugenio de Araújo Sales - Arcebispo da Arquidiocese do Rio de Janeiro: "Ao tratar do sexto mandamento da lei de Deus, o “Catecismo da Igreja Católica” (nº 2357) assim se expressa: “A homossexualidade designa relações entre homens e mulheres que sentem atração sexual, e exclusiva ou predominante, por pessoas do mesmo sexo. A homossexualidade se reveste de formas muito variáveis ao longo dos séculos e das culturas. A sua gênese psíquica continua amplamente inexplicada”. O Catecismo não pretende propor uma explicação sobre as causas que dão origem ao homossexualismo, pois isto não é função do Magistério da Igreja, mas da Ciência, cujas conclusões estão longe de ser definitivas. Ao mesmo tempo não teme afirmar que os atos daí decorrentes são intrinsecamente desordenados. Com isso não tenciona ferir ninguém, mas simplesmente cumprir a missão de ser fiel às Sagradas Escrituras e à Tradição. A Revelação divina apresenta uma inequívoca condenação à atividade homossexual. Essa atitude relatada nos Livros Sagrados não pode ser entendida como mera acomodação a um contexto social ultrapassado.

    O livro do Gênesis (19,1-29) descreve a destruição de Sodoma e Gomorra. A prática ali vigente, contra a moral, era muito difundida e tomou o nome da cidade: sodomia. Era abominável aos israelitas e punida com a morte (Levítico 18,22; 20,13). O texto sagrado não admite dúvidas: “O homem que se deita com outro homem como se fosse uma mulher ambos cometeram uma abominação, deverão morrer”. Esse mal era difundido entre outros povos (Levítico 20,23 e Juízes 19,22 ss). No Novo Testamento, São Paulo escreveu na Epístola aos Romanos (1,24-27): “Por isso Deus os entregou a paixões aviltantes: suas mulheres mudaram as relações naturais por relações contra a natureza; igualmente os homens, deixando a relação natural com a mulher, arderam em desejo uns com os outros, praticando torpezas homens com homens e recebendo em si mesmos a paga de sua aberração”. Há diversas outras citações bíblicas na mesma orientação doutrinária. Apoiado na Sagrada Escritura e na Tradição, o Magistério eclesiástico sempre declarou que “os atos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados” (“Persona humana”, 8). Alguns documentos emanados da Congregação para a Doutrina da Fé têm tratado amplamente do assunto. Sob o titulo “Persona Humana”, publicado em 1975, surgiram diretrizes precisas. Posteriormente, a 1º de outubro de 1986, veio a lume a “Carta aos Bispos da Igreja Católica sobre o atendimento pastoral das pessoas homossexuais”. O ensinamento do Magistério está sinteticamente exposto no “Catecismo da Igreja Católica” (n. 2358 e ss). Aborda diversos aspectos do problema. Assim “são contrários à lei natural. Fecham o ato sexual ao dom da vida. Não procedem de uma complementaridade afetiva e sexual verdadeira. Em caso algum podem ser aprovados” (“Catecismo”, nº 2357)."

    Fiquem na Paz de Deus!

    Padre Francisco Miguel Coimbra - Rio de Janeiro

    ResponderExcluir
  25. Prezado padre Francisco Miguel, tenho o maior respeito por D. Eugenio Sales, mas faço alguns questionamentos. Para a Igreja Católica, ser homossexual significa estar arredado da participação ativa na sua comunidade paroquial; significa estar segregado, marginalizado. Será porém este o ensinamento de Cristo? Será que o mesmo Cristo redentor que abençoou os puros de espírito, que chamou a Si todos os cansados e os oprimidos, que chamou todos sem exceção à sua Igreja, pode apelar à segregação? Ao afastamento? À marginalização? Serão mais dignos do amor de Deus todos os demais fiéis que sendo homossexuais não o dizem? Que sendo casados cometem adultério? Não será aqui que reina o pecado? Haverá pecado numa relação de amor e entrega mútua entre duas pessoas que se amam? Se Deus é amor, porque não poderá estar no meio do casal estável de homossexuais?

    Será que uma igreja que defende um Cristo que veio trazer a nova e eterna Aliança, pelo Novo Testamento, se pode refugiar, quando isso lhe é útil, em livros do Antigo Testamento? Será lícito que uma igreja que defende a interpretação não literal do texto bíblico, se refugie nesse tipo de interpretação quando pretende condenar a homossexualidade? Enfim, será a Igreja instituída por Cristo em Pedro, a primeira pedra, que está errada, ou será a igreja dos homens que peca?

    Estou certa, padre, que Deus não olhará para a homossexualidade como pecado. Como seria isso possível de acontecer num Deus que ama e ampara todas as criaturas sem exceção? Sendo Deus amor, onde há amor verdadeiro Ele está presente e onde Deus está presente não pode existir pecado. Deus criou as pessoas com atrações românticas e físicas por pessoas do mesmo sexo, assim como aquelas com atrações por pessoas do outro sexo. Todos estes sentimentos são naturais e são considerados bons e abençoados por Ele. Logo, estes sentimentos e atrações não podem constituir pecado e ser motivo de exclusão dos homossexuais da participação ativa nas suas comunidades paroquiais.

    Bom final de semana a todos e meus cumprimentos a J. Morgado pelo texto lúcido!

    Bruna – UFJF – Juiz de Fora/MG

    ResponderExcluir
  26. Olá Amigos

    O texto abaixo foi encontrado na internet. Desconheço o autor.
    Porém, concordo plenamente e assino embaixo.
    Um abraço a todos
    Paz. Muita Paz.
    J. Morgado


    “O Espiritismo ensina que os espíritas devem sempre respeitar o comportamento das pessoas, procurando compreendê-las, quando suas atitudes não estão de acordo com aquilo que não é considerado normal; por isso não é contra os homossexuais, mas também não é a favor da homossexualidade. As almas, ao longo da sua evolução, apresentam-se com caracteres acentuadamente masculinos ou femininos, e esse comportamento íntimo reflete-se no corpo físico.
    Esta condição, todavia, não lhe dá o direito de agir de forma contrária à lei natural, porquanto se a homossexualidade fosse normal a lei da reprodução não o seria, e não haveria necessidade de macho ou fêmea. Pela mesma razão compreende-se, mas não aprova a união entre homossexuais. O Espiritismo não é contra o sexo, mas contra o abuso da atividade sexual.
    A homossexualidade é um distúrbio de comportamento sexual intrínseco, marcado pela feminilidade ou masculinidade da alma, muitas vezes levada àquela condição, por força da educação, dos desequilíbrios emocionais e de influências diversas, inclusive daqueles que no passado (outras encarnações) abusaram das faculdades genésicas, arruinando a existência de outras pessoas”.

    ResponderExcluir
  27. Olha, Senhor J. Morgado, permita-me discordar. Eu acho que a homossexualidade não é uma escolha é uma condição… Sou lésbica e sinceramente não foram amigas e amigos, músicas ou programas de tv que me fizeram ser o que sou, nem muito menos como andam dizendo “A moda”… Eu sou assim por que eu nasci assim.. Temos lutado muito pela liberdade dos homossexuais e acho que, principalmente a homofobia tem diminuido muito. Tenho amigas lésbicas, Senhor J. Morgado, que são espíritas, outras católicas, penso que isso de religião nada tem a ver.

    Temos que ter consciência que nós, homossexuais, somos iguais aos outros, não somos de outro planeta não. A homossexualidade não é uma doença… Como eu ja falei é uma condição de vida. Então, vamos deixar os preconceitos de lado, seja la quais forem e vamos nos divertir, curtir a vida com moderação!!!

    É isso ai o que eu penso e acho que estou certa!!!

    Simony - Belo Horizonte/MG

    ResponderExcluir
  28. Prezados leitores,

    Confesso-lhes que estou bastante decepcionada com alguns comentários que li a respeito da matéria postada por J. Morgado, com referência à homossexualidade.

    Preconceito, intolerância, discriminação, desrespeito e até ódio senti impregnados nas palavras de alguns comentaristas quando trataram do assunto. Nunca pensei que pessoas de tão fino trato ainda conservassem dentro de si sentimentos tão danosos e mesquinhos.

    Respeito essas opiniões e posicionamentos, mas não posso concordar com elas. Os homossexuais também pertencem ao gênero humano e, como todos nós, gozam da prerrogativa constitucional da liberdade de expressão, credo, orientação sexual e dos demais direitos previstos na legislação vigente. A menos que pratiquem crimes - daí serão enquadrados na norma adequada e penalizados pela Justiça, como qualquer cidadão que delinque.

    De outra parte, conforme a intervenção do Edward, ao referir os crimes cometidos por sacerdotes homossexuais e pedófilos, não só na Irlanda, mas em muitos países do mundo, devem ser expostos e exemplarmente punidos, tanto pela Igreja como pela Justiça comum, pois bárbaro é o seu crime. Aliás, os padres que cometeram esse sacrilégio ao vilipendiar inocentes, perderam a condição de serem representantes de Deus junto à Igreja e devem ser sumariamente depostos de sua condição de sacerdotes.

    A propósito, há um documento interessante, que pode ser encontrado em http://www.diversidadecatolica.com.br/bibliografia_homossexualidade_igreja_catolica.pdf, da autoria do padre jesuíta Luís Corrêa Lima, doutor em história pela UnB e professor do Departamento de Serviço Social da PUC-Rio, bastante esclarecedor sobre a homossexualidade à luz do que pensa a Igreja Católica, que parece estar sendo obrigada a tomar novos rumos, premida pela contemporaneidade. Acredito que foi daí que a Liliana encontrou inspiração para escrever o seu comentário.

    Sei que não vou mudar a opinião de ninguém sobre o assunto e nem é minha intenção. A transformação tem que vir do interior de cada um, através de um processo de refinamento dos valores existenciais. Daí poderemos olhar todas as pessoas como iguais, exercitando a empatia - a faculdade de nos colocarmos no lugar do outro e sentir o seu sofrimento. Aí florescem as virtudes da compaixão e da verdadeira caridade.

    Por derradeiro e oportuno, lembro da passagem bíblica que diz assim: "Antes de notares a trave no olho do teu irmão, atenta para a trave que há no teu olho."

    Outras pessoas, profundamente decepcionadas, como o Professor João Paulo, deram "Adeus" ao blog. Não podemos prescindir dele, já enviei-lhe mensagem, pedindo que reconsidere.

    Até logo.

    ResponderExcluir
  29. Olá Amigos

    Boa tarde

    Para aqueles que se interessa em aprofundar o assunto sexualidade na ciência, aconselho o site abaixo.
    Paz. Muita Paz.
    J. Morgado

    http://www.sistemas.aids.gov.br/imprensa/Noticias.asp?NOTCod=51282

    ResponderExcluir
  30. ANA CÉLIA DE FREITAS.sábado, 20 março, 2010

    Boa tarde pessoal...
    Assim como a Nívia,confesso que ao ler alguns comentários fiquei bastante decepcionada,eu pensava que as pessoas em pleno século XXI tivessem mudado a maneira de pensar,respeito a opinião de cada um,embora não concorde.Afinal só porque são homossexuais ou lésbicas não podem ser felizes?Não podem ser diferentes só porque uma sociedade hipócrita,preconceituosa não os aceitam?
    Sou até favorável a umas palmadas,e pena de morte,mas para aqueles assassinos cruéis,estrupadores que fazem suas vítimas com uma grande frieza e muitas vezes deixam famílias destruidas pelos seus crimes frios e calculistas.Homossexuais são seres humanos como qualquer um,dotados de bom coração,delicadeza,amor ao próximo,humanidade e outros sentimentos que muitas vezes passam longe de muitos seres que se dizem "humanos".
    Mas esse espaço é democrático,e apesar de tudo fico contente em saber que cada um fala o que sente ou pensa,não importando o que terceiros acharão.
    Abraços a todos e um ótimo final de semana.
    ANA CÉLIA DE FREITAS.

    ResponderExcluir
  31. Criada de acordo com a filosofia católica cristã, a partir da adolescência deixei a Igreja Católica por discordar do celibato imposto aos cléricos. Muitas vocações são perdidas por conta dessa imposição antinatural. Impulsos reprimidos são como uma bomba-relógio que explode de forma devastadora. A igreja deveria rever esse dogma. Casos de pedofilia são abomináveis em qualquer situação, mas adquirem amplitude quando são praticados por pessoas nas quais confiamos. Tais padres deveriam nos dar conforto espiritual, no entanto se mostram pérfidos e sórdidos como qualquer "bebum" de esquina. Não pratico outra religião enquanto espero que o ser humano readquira sanidade.

    Abçs

    Karina - UNICAMP - Campinas - SP.

    ResponderExcluir
  32. Boa tarde, Senhor J. Morgado, sua crônica está perfeita! Longe de qualquer tipo de preconceito ou de manifestação contra qualquer grupo de pessoas, o texto foi sensacional. É verdade que, homossexuais ou não, é preciso deixar o preconceito de lado e encarar os fatos sob a ótica científica, de modo que todos, a favor ou contra, possam se expressar com liberdade seus pontos de vista.

    Meus parabéns!!!

    Priscila - Metodista - SBC.

    ResponderExcluir
  33. Oi pessoal, eu, homossexual assumido, tenho que admitir que me senti ofendido com alguns comentários feitos aqui nesse blog, pelas informações que tive, de altíssimo nível. É possível que eu seja muito sensível. Deve ser isso, mas alguns comentários demonstraram ódio e falaram até em matar homossexuais, onde estamos? Qual a razão de tanta discriminação?
    Nivia, adorei vc, és uma gracinha!

    Renatinho - Campinas - SP.

    ResponderExcluir
  34. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  35. Prezado Jornalista mestre-amigo J. Morgado.
    Desejo esclarecer que minhas criticas não são sobre o seu artigo nem sobre sua pessoa,que tenho em elevada estima e consideração.
    O tema em questão foi de extrema importância no sentido de pensarmos o quanto ainda temos necessidade de conhecer e aprofundar questões que ainda constituem tabu em nossa sociedade.
    Também adoro vc!

    ResponderExcluir
  36. Miguel Falamansasábado, 20 março, 2010

    Não sei se entendi bem, mas pareceu-me que o Professor João Paulo não gostou do artigo de J. Morgado e resolveu deixar o blog, foi isso? Professor, aprendi a gostar do senhor pela sua esportividade e mesmo vendo que se redimiu acima, é preciso que busquemos sempre o diálogo e os comentários aí estão para nos entendermos. Quero que permaneça entre nós, já nos tornamos uma família e cada mebro que some é uma perda sentida.
    Nivia, Cristina Fonseca e Ana Célia. Espero que me entendam, por favor. Penso que é direito de cada um dizer o que pensa em seus comentários. Da forma como se manifestaram, acabaram atacando quem foi contra o homossexualismo de uma forma tão rude quanto à deles, feita contra os homossexuais. É ou não democrático esse blog? Se é, cada um diz o que acha que deve. Contestem, mas não da forma como o fizeram. Ficou a impressão que estão endeusando os homossexuais e repelindo os que são contra.
    Peço mais uma vez desculpas, mas sou franco e não podia deixar de me manifestar diante da posição feroz que tomaram contra quem repele o homossexualismo, o que não foi o meu caso.

    Um bom final de semana!

    Miguel Falamansa - Botucatu - SP.

    ResponderExcluir
  37. Prezado amigo Miguel Falamansa,

    Se o ofendi, peço-lhe desculpas, mas não me dirigi a você, creia. E disse: "Respeito essas opiniões e posicionamentos, mas não posso concordar com elas. Os homossexuais também pertencem ao gênero humano e, como todos nós, gozam da prerrogativa constitucional da liberdade de expressão, credo, orientação sexual e dos demais direitos previstos na legislação vigente. A menos que pratiquem crimes - daí serão enquadrados na norma adequada e penalizados pela Justiça, como qualquer cidadão que delinque."

    E mais, assim como você, escrevi: "De outra parte, conforme a intervenção do Edward, ao referir os crimes cometidos por sacerdotes homossexuais e pedófilos, não só na Irlanda, mas em muitos países do mundo, devem ser expostos e exemplarmente punidos, tanto pela Igreja como pela Justiça comum, pois bárbaro é o seu crime. Aliás, os padres que cometeram esse sacrilégio ao vilipendiar inocentes, perderam a condição de serem representantes de Deus junto à Igreja e devem ser sumariamente depostos de sua condição de sacerdotes."

    Friso novamente - Todos têm o direito de dizer o que pensam. Da mesma maneira, simetricamente, também tenho o direito de discordar. Democraticamente. Não creio ter ofendido ninguém.

    Um abraço.
    "

    ResponderExcluir
  38. Ariovaldo Constantino Nettosábado, 20 março, 2010

    Boa noite jornalista J. Morgado!
    Atrevo-me a lhe fazer duas perguntas, que podem também ser respondidas pelos demais jornalistas ou frequentadores deste blog, que visito pela primeira vez e me encantou pela presença maciça de pessoas de bom nível.

    A primeira: pelos ensinamentos da doutrina espírita, um ser devasso hoje na Terra, ao reencarnar, pode ser um homossexual em sua nova vida, foi isso que entendi? E um homossexual que vive hoje entre nós, apedrejado e sofrendo todo o tipo de humilhação e discriminação, o que acontece quando reencarna? Não pode voltar mais uma vez como homossexual, seria castigo demais. Como seria a nova vida desse infeliz?

    A segunda: por quê algumas cidades abrigam um número maior de homossexuais? Seriam atraídos pelos colegas? Cidades como Campinas, que entre os comentaristas tem um representante neste blog e Pelotas no Rio Grande do Sul são as cidades mais conhecidas pela presença significativa de homossexuais. Seriam essas duas cidades, de acordo com a doutrina espírita, Sodoma e Gomorra?

    Muito grato!

    Ariovaldo Constantino Netto - Ribeirão Preto - SP.

    ResponderExcluir
  39. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  40. Olá Amigos

    Bom dia

    Resposta para algumas arguições abaixo transcrita.

    “Porquanto qualquer que a si mesmo se exaltar será humilhado, e aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado”.
    (Lucas 14:11)

    Paz. Muita Paz.

    J. Morgado

    ResponderExcluir
  41. Esse Padre Francisco Miguel Coimbra - Rio de Janeiro, é tão padre quanto eu.
    Tudo o que ele escreveu está postado em infinidade de outras páginas na web.
    Portanto ele é um engodo.
    Eu fiquei esperto depois que li as “dissertativas” dele.
    O interessante é que padres detestam os espíritas, justamente por que os espíritas estão com a verdade absoluta, o que vai na contra mão da igreja católica que sempre impôs a ignorância no homem através de dogmas que só eles acham que entendem.
    Padre Euvideo.

    ResponderExcluir
  42. LUIZ ANTÔNIO DE QUEIROZsegunda-feira, 22 março, 2010

    Caro J.Morgado,

    No meu modo de pensar, dois motivos levam ao sucesso de seus artigos:

    1) a forma clara, concisa e com intenção de ver melhorias nas pessoas e na sociedade e

    2) os temas polêmicos que são abordados.

    Importante ressaltar que Espírito não tem sexo. Encarnamos, como Espíritos impuros e ignorantes que ainda somos, para buscar nossa evolução, nosso progresso. Para isso precisamos de um corpo. E para adquirir experiências, ora encarnamos num corpo de homem, ora encarnamos num corpo de mulher. Quando o nosso psiquismo é de mulher e encarna num corpo de homem, ou vice-versa, ocorre os conflitos. Cabe a quem está experimentando essa situação, cuidar para que não ocorra um mal maior, como bem esclarece o amigo Morgado, no seu texto.

    Abraço Fraterno a todos.

    Luiz Antônio de Queiroz
    Franca-SP

    ResponderExcluir