sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010


LIPOASPIRAÇÃO

A VAIDADE QUE CEIFA VIDAS


Modelar o corpo, transformar a aparência. O fascínio pelo visual perfeito motiva desde atividades físicas, ao uso de cosméticos e procedimentos cirúrgicos com fins estéticos. Notícias de complicações e mortes decorrentes de lipoaspiração levantam as perguntas: quais os riscos desta cirurgia? Quem pode se submeter ao procedimento? O que leva uma pessoa a arriscar a vida em nome da autoestima? De tempos em tempos notícias sobre mortes durante cirurgias plásticas comovem a população porque na maioria das vezes os pacientes são jovens.

A jornalista Lanusse Martins, de tenros 27 anos morreu no dia 25 de janeiro do mês passado, em uma clínica particular, em Brasília, após uma cirurgia de lipoaspiração. Lanusse era repórter na TV Justiça e em 2009 também trabalhou na TV Globo de Brasília. Menina linda, competente e de futuro com certeza brilhante à sua espera. Em vez disso, foi-se antes da hora e deixou órfão um filhinho de apenas 6 anos. Quatro dias depois da morte da jornalista Lanusse Martins, o Conselho Federal de Medicina anunciou a elaboração de um novo protocolo de segurança para cirurgia plástica, que irá indicar procedimentos que devem ser seguidos em plásticas.

Também em janeiro, no dia 8, a técnica em radiologia, Carla Fares, 33, morreu após uma lipoaspiração em Duque de Caxias (RJ). Carla teve uma parada cardiorrespiratória e entrou em coma. A família da técnica responsabiliza a clínica e apresentou uma denúncia à polícia. Muitas outras mortes foram registradas durante cirurgias de lipoaspiração, além dessas duas este ano, quatro apenas no ano passado

O que antes era uma rotina que nem assustava os pacientes, agora se reveste de uma nova gravidade e exige uma apuração completa para que fique estabelecida a causa da morte e a responsabilidade de cirurgiões e instituições envolvidas.

A vaidade de vez em quando ceifa vidas. Inúmeros jovens já morreram ou tiveram graves problemas em busca de um corpo perfeito. O uso de anabolizantes é responsável por graves danos à saúde e a procura de músculos potentes e de um torso “sarado” já levou ao hospital centenas de usuários dessas drogas. No lado feminino a plástica impera como solução para se conseguir um corpo perfeito e que esteja de acordo com os padrões que vigoram na moda. Num mundo de manequins esqueléticas, vale tudo para se chegar à silhueta magra que os costureiros exigem, da fome ao estágio da anorexia que sempre traz complicações ao paciente.

O gosto pelos corpos oscila. Já tivemos a vez das rechonchudas no começo do século passado, quando as gordurinhas eram consideradas não só sensuais como saudáveis. Agora estamos sob o império das mulheres atléticas de corpo definido e músculos à mostra e quem não teve a sorte de nascer geneticamente preparado para esse desafio tem de recorrer ao bisturi se quiser fazer algum sucesso social. Assim, um número cada vez maior de mulheres procura os cuidados de um cirurgião plástico para tentar alcançar o ideal de beleza que está nas capas de revista.

A lipoaspiração não é feita para perder peso e sim para modificar a silhueta, por isso, não é indicada para pacientes obesos. A cirurgia apresenta resultado mais eficaz em pessoas que apresentam gordura localizada. Antes de passar pela transformação desejada, o paciente deve se submeter a exames laboratoriais e fazer uma avaliação de risco. Estes exames são uma espécie de “radiografia” da saúde do paciente e devem ser apresentados ao médico até sete dias antes do procedimento. Os exames mostram se há possibilidades de arritmia, infarto, problemas respiratórios. O paciente só pode fazer a cirurgia se estiver com a saúde perfeita. Se tiver uma anemia, por exemplo, terá de se recuperar para poder fazer a lipo.

É preciso ficar definitivamente claro que esse é um procedimento tão sério e arriscado quanto qualquer outra cirurgia e não pode ser tratado como uma banalidade.

Vivemos num país de justiça lenta, mas o Conselho Federal de Medicina não está assim tão assoberbado que não possa dar à população a satisfação que ela merece e exige para que não fique maculado o nome dos verdadeiros profissionais por erros ou imperícia de um pequeno grupo. O que fez tão somente foi divulgar uma estatística de 2004 a 2008, mostrando que 238 denúncias de erros médicos ocorreram durante cirurgias plásticas, resultando na cassação do registro de seis profissionais além de censuras públicas (advertências) em outros 35. De acordo com o CFM, 89 processos foram arquivados.

..........................................................................................................
*Edward de Souza é jornalista e radialista. Trabalhou em vários jornais, emissoras de rádio e tv do Grande ABC e de São Paulo. Medalha João Ramalho, principal comenda do município de São Bernardo do Campo, outorgada pela Câmara Municipal daquela cidade pelos relevantes serviços jornalísticos prestados à região. Troféu PMZITO, entregue pelo alto comando da Polícia Militar de Santo André por ter se destacado como o melhor repórter policial do ABC nos anos 70. Menção Honrosa entregue em 2007 pela Câmara Municipal de Franca e outra pelo Rotary Clube Norte pela atuação brilhante na radiofonia e jornalismo da cidade. Participou de diversas antologias de contos e ensaios.
.........................................................................................................

29 comentários:

  1. Olá Edward!

    Dá uma tristeza muito grande, um aperto no coração. A gente vê uma moça tão jovem no vídeo e, em seguida, lê a notícia de sua morte após uma lipoaspiração, em Brasília. Ela tinha apenas 27 anos. As mulheres (e alguns homens também) continuam pensando que fazer uma lipo é como obturar um dente. Agora me diz, com toda sinceridade, Edward... Uma moça linda como essa jornalista precisava de uma lipo? Essa moça já era tão magrinha! Estamos em uma sociedade onde a perfeição é fundamental. É pura besteira querer se adequar aos padrões impostos por alguns. Que Deus cuide de seu filho.

    Bjs,

    Gabriela – Cásper Líbero – SP.

    ResponderExcluir
  2. Ôi Edward, bom dia!

    Minha opinião é que esta jovem jornalista não precisava em hipótese alguma de qualquer cirurgia! Quantas mulheres mais vão morrer por causa de uma vaidade muitas vezes desnecessária? Hoje em dia as pessoas só pensam em vaidade e deixam de lado todos os riscos que podem ocorrer ao fazer uma lipo ou qualquer outro tipo de cirurgia plástica. Em minha opinião passar por uma lipo só realmente se for necessário, o que vale a pena é viver. É uma pena uma moça e bonita, com muito futuro pela frente perder a vida desta forma. Que esse filho não fique desamparado.

    Abaixo toda a artificialidade... Viva a beleza natural!

    Um bom dia a todos!

    Vanessa – PUC – São Paulo

    ResponderExcluir
  3. Bom dia a todos!
    Pois é, as pessoas precisam perder esta ilusão de que a lipoaspiração é coisa simples e não acarreta risco algum a saúde. Mesmo as cirurgias mais comuns contém risco de morte. Essa jornalista era uma princesa, estava 1000% em forma, não precisava mais nada e ainda tinha um filho de 7 anos. Isso é que dá vaidade demais. Lamentável.

    Bjos.

    Giovanna - PUC - SP.

    ResponderExcluir
  4. Olá Edward

    Como sempre, oportuno e didático artigo.
    A vaidade aliada com a ganância de certos médicos está ocasionando essas mortes prematuras.
    O símbolo da mulher bonita em séculos anteriores (veja obras de arte) era diferente. Como você mesmo diz, o modismo da mulher esquelética é o que vale.
    O homem sofre as conseqüências da malhação para conseguir o tal de corpo sarado. Uma dessas conseqüências é o desempenho sexual.
    Em pesquisa recente feita pela mídia, os jovens estão tomando “viagras” como se estivessem chupando balinhas.
    As mulheres (jovens e balzaquias) estão enxertando tudo que é droga para realçar sua beleza. Uma beleza artificial e fútil.
    Veja as atrizes de cinema do passado e as nossas namoradas. Nada de silicones e lipoaspiração. Lindas mulheres sem nenhum artifício a não ser aqueles conseguidos no camarim e nos salões de beleza.

    Um abraço

    Paz. Muita Paz.

    J. Morgado

    ResponderExcluir
  5. Ôi Edward, esse sem dúvida é o principal assunto tratado nesse blog nos últimos tempos. É preciso se debater sobre os riscos de uma lipoaspiração para que as pessoas aprendam que é preciso, para que uma cirurgia desse porte tenha um bom resultado, não esconder nada de seus hábitos rotineiros do seu médico. Alguns medicamentos, por exemplo, podem interferir na coagulação do sangue e causar hemorragias. Já eram conhecidas as contra-indicações do ácido acetilsalicílico, de antiinflamatórios e também de alguns antidepressivos - incompatíveis com algumas drogas anestésicas- no pré-operatório. Mais recentemente, descobriu-se que o ginseng, a gincobiloba, e a vitamina E, também podem interferir na coagulação sanguínea.

    “O uso desses medicamentos deve ser suspenso 15 dias antes da realização da cirurgia, para que o corpo metabolize totalmente a droga, principalmente no caso do ginseng que demora a ser eliminado no organismo. Outras substâncias como Botox, preenchimentos e linhas de sustentação também precisam ser eliminados por completo do organismo antes da intervenção cirúrgica. No caso do botox, é necessário esperar seis meses para que o medicamento deixe de agir.

    Mais ainda, Edward. Para garantir a segurança de uma lipoaspiração, é aconselhável solicitar todas as orientações e certificar-se sobre a escolha de profissionais capacitados para realizar o procedimento e ter ciência de que a cirurgia somente poderá ser realizada por cirurgião plástico habilitado, segundo normatização do próprio Conselho Federal de Medicina.

    Mais um detalhe, Edward. Um mito bastante comum é de que a lipoaspiração é para emagrecer. O que emagrece é regime. A lipoaspiração é recomendada para os que desejam remodelar o corpo, retirar a gordura localizada mudando o contorno corporal. Sendo assim, ela é ideal para pacientes próximos de seu peso ideal, tá?

    O assunto é longo e não vou ter espaço para continuar, volto mais tarde, caso preciso, mas devo esclarecer, a lipoaspiração é uma cirurgia, na maioria das vezes de grande porte, merecendo todos os cuidados dispensados a qualquer cirurgia. Aprendam que, lugar de fazer lipo é no centro cirúrgico (de hospital ou clínica especializada), com anestesista e cirurgião plástico, conforme resolução nº 1.711/03 do Conselho Federal de Medicina.

    Para as meninas um conselho. Não se iludam com matérias que mostram celebridades que fizeram uma “mini-lipo” e que ficaram ótimas. Conversa mole. "mini lipo" não existe, é apenas um termo criado para vender a idéia de que o procedimento é simples, rápido, indolor e milagroso.

    Beijos a todos...

    Liliana Diniz – FUABC – Santo André – SP.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia, amigos e amigas!

    Como sempre, o jornalista Edward de Souza aborda assuntos atuais e palpitantes, como esse, dos perigos que a cirurgia de lipoaspiração impõe, tanto às mulheres como aos homens (que também se submetem ao procedimento, sim!)

    Entre os resultados deletérios dessa prática, além da morte por parada cardíaca e/ou respiratória, e outras complicações, há resultados desastrosos impostos pela imperícia dos cirurgiões, como cicatrizes incorrigíveis, mutilações, e até mesmo casos em que as pessoas que se submeteram à lipo terem que ficar ligados a respiradouros artificiais, tal o estrago que uma cirurgia mal-feita ocasiona.

    Não sou contra a qualquer técnica que possa melhorar o aspecto físico de mulheres e homens, inclusive a cirurgia plástica. Mas realizada por equipe multidisciplinar
    de profissionais competentes, em hospital que detenha todas as condições para esse tipo de procedimento.

    Porém, há algumas alternativas que, se fossem adotadas como prática constante na vida, não levariam as pessoas a esse extremo. Por exemplo, comer adequadamente, manter uma dieta equilibrada - desde a tenra infância, para não crescerem obesos - pois a gordura é a causa da maioria dos problemas dos jovens e adultos. Também o exercício constante é fundamental para uma vida saudável e um corpo que não precise de retoques constantes.

    E isso se consegue através de uma boa caminhada diária - sagrada! - Corpo rijo, mente aberta e autoestima nas alturas! Não custa nada e nos dá tudo. Mas nos cobra disciplina e sensatez na hora de comer!

    O problema é que existem aspectos culturais profundamente enraizados na nossa sociedade - trabalhamos muito, nos movimentamos pouco e comemos pessimamente. Isso é difícil de mudar...

    Essa jovem jornalista, a Lanusse, provelmente tinha algumas gordurinhas localizadas e queria eliminá-las sem mudar a sua rotina. Sabem que a rotina do profissional de jornalismo é ingrata - muito tempo sentados, sem horário definido para alimentarem-se, stress, etc. Pois bem, infelizmente, perdeu a vida na flor da juventude. E há muitos casos semelhantes.

    O Conselho Federal de Medicina precisa agir rapidamente, tornando difícil a proliferação de clínicas particulares de cirurgia plástica sem o devido credenciamento e sem as mais rígidas condições de operacionalidade. Do contrário, teremos mais óbitos decorrentes de umaprática até agora insegura e, muitas vezes, desnecessária.

    Parabéns, Edward, pelo "olho clínico"!

    ResponderExcluir
  7. Bom dia a todos!

    Primeiro quero cumprimentar o Edward pelo texto objetivo que escreveu nesta sexta-feira aqui no blog. E de utilidade pública, porque não? É preciso sim, conhecer os riscos de uma lipoaspiração e se vale a pena arriscar a vida para se submeter a uma cirurgia desse porte, muitas vezes apenas para se livrar de algumas rugas. Outra coisa. Tenho uma curiosidade e gostaria de fazer uma pergunta a quase Drª Liliana, se é que ela volte ao blog e possa responder, claro. Qual a diferença entre lipoaspiração e lipoescultura? Ouço falar muito em lipoescultura, mas não tenho a mínima idéia sobre seu significado.

    Beijos,

    Lidiane - Metodista - SBC.

    ResponderExcluir
  8. Também acho, Cris, que as dicas da Liliana devem ser seguidas com seriedade. Pacientes devem avaliar bem antes de realizar um procedimento cirurgico. Todo procedimento envolve risco de acidentes, infecções, reações a anestésicos pois é um procedimento invasivo.

    Outros ótimos conselhos foram passados pela Nivia. Ao invés de buscar a praticidade, as pessoas deveriam buscar o exercício para entrar em forma. A alimentação saudável, coisa que hoje é ignorado por milhares de pessoas, sempre apressadas. Muitas fazem suas refeições sentadas em banquinhos de restaurantes e correndo, vejo muito isso aqui em São Paulo. Depois correm atrás do prejuízo, gastam dinheiro e perdem a vida.

    Gostei do artigo, Edward, quem sabe ajuda a abrir os olhos de muitas desavisadas por aí!

    Bjos,

    Andressa - Cásper Líbero - SP.

    ResponderExcluir
  9. Ôi Lidiane, respondendo a sua pergunta sobre a lipoaspiração e lipoescultura. Os dois termos são praticamente sinônimos, o princípio é o mesmo. Na lipoaspiração, apenas retira-se a gordura de um determinado local do corpo. Na lipoescultura, o médico usa a mesma gordura retirada na lipoaspiração e a enxerta em outro lugar que o paciente desejar remodelar ou preencher, entendeu? No caso dessa jornalista de Brasília, o caso já foi apurado, ela morreu de choque hipovolêmico, ou seja, ela teve uma hemorragia interna causada pela perfuração de uma artéria. Ela sangrou muito até morrer, infelizmente.

    Cris, você está certíssima. As informações que também tenho é que, depois dos Estados Unidos, é no Brasil que mais se realizam procedimentos cirúrgicos dessa modalidade.
    Bjos,

    Liliana Diniz – FUABC – Santo André – SP.

    ResponderExcluir
  10. Olá Edward, acabo de ler o comentário da Liliana acima. Essa pobre jornalista deve ter sofrido muito, morreu sangrando, meus Deus! É lamentável o ocorrido com essa jovem, com o mundo inteiro pela frente se submeter a tal processo para ficar mais bonita. Muitos vivem em um mundo fútil, com conceitos comerciais e padrões ridículos de beleza! Eu agradeço a Deus todos os dias por ter saúde, para mim, nada é mais importante.

    Bjos,

    Talita - UNISANTOS - Santos - SP.

    ResponderExcluir
  11. Boa tarde a todos!

    Me desculpem, mas a culpa não pode recair só sobre o médicos quando ocorrem mortes durante uma cirurgia de lipoaspiração... Vejam o caso dessa jornalista que todos comentam aqui no blog, até porque é o mais recente. Essa moça não pensou no filho, nos riscos de morte que toda cirurgia plástica prevê. A vaidade falou mais alto. Pessoas assim tem que visitar a favela de vez em quando e dar graças a Deus por ter recebido tanto, enquanto outros receberam tão pouco e estão cheios de vida. Essa jornalista, bonita, tinha bom emprego, famosa por estar na mídia, na flor da idade, recebeu tudo na vida e ainda não estava contente. É preciso orar todos os dias e dar graças a Deus pelo que ele nos dá, não querer modificar a natureza. Para mim, nada justifica uma lipoaspiração, mania de estrelas de TV e do cinema para ficar mais bonita. É preciso se contentar com o que Deus nos deu, e procurar ser feliz assim.

    Abçs a vcs...

    Tânia Regina - Uberlândia/MG

    ResponderExcluir
  12. Ôi Liliana, muito obrigada por esclarecer minha dúvida, você é maravilhosa....

    Beijinhos,

    Lidiane - Metodista - SBC.

    ResponderExcluir
  13. Olá Edward, esse o artigo que faltava nesse blog.
    Sabe, sinceramente, só sou a favor das lipoaspirações por questões de saúde. A vaidade a qualquer preço, por vezes dá mau resultado! Há mulheres que acham imperfeiçoes onde não existem e acabam perdendo a vida.

    Beijos,

    Ana Paula - Unifran - Franca - SP.

    ResponderExcluir
  14. Prezado Edward de Souza!
    Seus artigos realmente mexem com a meninada. Admiro muito seu texto e dá gosto ler o que você escreve. Já que muito se fala nesse caso da morte dessa jornalista de 27 anos, eu acredito que se a operação tivesse sido feita num hospital de verdade, ela estaria viva. Não se pode tirar a culpa do médico que fez a operação simples que se transformou em mortal. Mas a cliente, tem parte enorme na própria morte. Jornalista, portanto devia ser bem informada, não podia se submeter a uma operação num pardieiro, no fundo de um botequim. Centenas de abortos são feitos nas mesmas condições, não se sabe quantas mulheres morrem. A mulher que pretende ficar mais bonita deve procurar um hospital ou clínica especializada e um médico bom e credenciado. Se não tem dinheiro para arcar com as despesas, larga de mão essa lipoaspiração, continue feia ou troque de marido, sei lá!

    Abraços,

    Miguel Falamansa - Botucatu - SP.

    ResponderExcluir
  15. Ôi Miguel Falamansa, a tal clínica, segundo divulga a imprensa, não é um pardieiro, está bem instalada e fiscalizada pelo Conselho Regional de Medicina de Brasília, foi comprovada a sua legalização. A inabilidade, se houve, foi do médico que operou a jornalista que acabou pagando alto o alto preço da vaidade. Fico com pena do filho pequeno que ela deixou! Devia ter pensado nele antes de se submeter a essa lipoaspiração.

    Bjos,

    Melissa - Metodista - SBC

    ResponderExcluir
  16. Boa noite!

    O excesso de vaidade e a mudança no conceito da estética têm feito muitas mulheres, ainda jovens, se aventurarem nas clínicas de cirurgias plásticas. Toda cirurgia possui um risco, mas é importante que a clínica tenha UTI para medidas emergenciais... Já perdi duas amigas em cirurgias assim. Uma dessas amigas, de acordo com os exames preliminares, não poderia se submeter a tal cirurgia, mas o dinheiro falou mais alto e a vida dela se foi.

    Boa noite a todos vocês e meus cumprimentos ao autor desse texto, que volta a levantar esse grave problema que está vitimando a cada dia pessoas jovens e com futuro brilhante pela frente, como foi o caso dessa jornalista de Brasília e um pouco antes, de uma juíza de direito. Os "matadouros humanos" precisam ser lacrados e os responsáveis, severamente punidos.

    Raquel G Freitas - Campo Grande/MT

    ResponderExcluir
  17. Pessoal, viva as gordas e gordinhas. Prá que ficar pagando para morrer? Eu estava acostumada com as aparições da jornalista Lanusse Martins na TV Justiça e estou me perguntando, pra que lipoaspiração se ela já era tão magra? Tinha medidas cobiçadas por outras moças da mesma idade. A busca por corpo perfeito em quem já é perfeito é demais. Lamentável perda para todos nós.

    E viva as gordinhas assumidas que fogem do bisturí!

    Débora Machado - Araçatuba - SP

    ResponderExcluir
  18. Aos frequentadores deste blog!
    Estou formado há 28 anos, tenho duas residências e trabalho basicamente no serviço público (SUS). Já fui processado pelo CRM com base em notícias vindas de uma publicação venal. Já vi o Datena apontar pra câmera o seu dedo acusador, chamando a um colega e a mim de assassinos, num processo que sequer seguiu em frente. O judiciário, após extensa avaliação, arquivou o processo. Mas o CRM, não. Ficamos, ambos, com uma espada pendente sobre os ombros por mais de cinco anos até que no júri do CRM fomos absolvidos.

    É curioso isso, você saber que pode perder seu diploma, obtido com sacrifício e protegido com os cuidados diários aos pacientes. Ver que você envelhece rápido, que não tem vida social, que come mal, dorme mal. Isso quando não envereda pelo caminho, tão humano, do álcool, do fumo e das drogas. Quando não suicida (procure ver as estatísticas sobre o assunto e você se surpreenderá).

    Quanto à máfia de branco, que muitos estão acostumados a chamar a nós, médicos, por não me incluir nela (caso realmente exista – o ônus da prova é de quem acusa), creio que tem alguns determinantes importantes, a saber: 1. médico é mal pago pelo benefício que produz; 2. é julgado frequentemente sem poder se defender; 3. já foi dito que médico é que nem sal – branquinho, fácil de encontrar e barato; 4. carrega nas costas a responsabilidade de sanar erros de um sem número de profissões (ou você chama um vereador quando presencia um infarto? Ou um técnico em informática ao presenciar um soterramento onde jazem crianças ainda vivas, nas mãos dos bombeiros? Ou um advogado criminalista para socorrer as vítimas de uma ponte construída com material não adequado? Uma taróloga para cuidar de uma pessoa que ingeriu 50 comprimidos de gardenal porque a poupança, seu único bem, foi confiscada pelo presidente da República que andava de jetski? Você procuraria esses profissionais? Duvido.

    finalmente, o médico é um dos poucos profissionais do País que não tem sua profissão regulamentada em Lei, sabia disso? Vá ao site do senado e veja lá a consulta pública. É isso. Após seis dias levantando às 5 e indo dormir às 23 horas, após ônibus intermunicipal e duas linhas de metrô de ida + duas de volta, vou dar uma paradinha agora.
    Um abraço a todos e bom fim de semana.

    Paulo Truglio

    ResponderExcluir
  19. Amigo Edward.
    Sabem todos que sou um seresteiro da madrugada e apareço agora para cantar em suas janelas uma coisa bonita do Caime:
    Não fazes favor nenhum/ em gostar de alguem/ nem eu/ nem eu/ nem eu/
    Quem inventou o amor/ não fui eu/ não fui eu/ não fui eu/ nem ninguem/ o amor acontece na vida/estavas desprenida/ e por acaso eu também/ (...)
    Edward você coloca temas de grande oportunidade e desta vez me alegro por você e pela maturidade das postagens que acabo de ler. As opiniões aqui registradas são de um equilibrio magistral. Não mudem nada, sigam por ai como multiplicadores de ideias adultas, saneadoras de um mal que vem nos atingindo de maneira torpe.
    De minha parte entendo que quaquer cirurgia é uma agressão ao organismo humano, devendo ser realizada somente em casos extremos de absoluta necessidade e, ainda assim, dependendo da idade do paciente, deve ser evitada.
    Apreciei todos os comentários. Destaco dois, para mim basicos sobre o tema: Nivia Andres e Tânia Regina analisam com equilibrio desde a motivação até o foco de culpa.
    Edward, você acertou duas vezes, no tema e na grandeza da discussão madura do assunto por nossos companheiros. Um abraço a todos. Garcia Netto

    ResponderExcluir
  20. ANA CÉLIA DE FREITAS.sábado, 27 fevereiro, 2010

    Olá meu querido amigo Edward.
    Sem dúvida o assunto em pauta é de extrema importância e seriedade.
    É triste saber que em nome da beleza várias pessoas arriscam sua vida,e como se vê iludida pelo padrão imposto pela mídia,esquecem da família e entram nesse mundo perigoso e muitas vezes sem volta.
    Acho patético as agências exigirem modelos esqueléticas,assisti um desfile dia desses e fiquei horrorizada as meninas bem jovens eram pele e osso,acho que os órgãos (in) competentes deveriam censurar essa imposição,mas ao que vejo, nada fazem para mudar essa realidade.
    Parabéns Edward amei saber um pouco mais sobre o assunto.
    Doutora Liliana seus conselhos foram muito úteis.Em hipótese alguma eu faria uma lipo.
    Beijosssssssssssssssssss.
    ANA CÉLIA DE FREITAS.

    ResponderExcluir
  21. Olá Edward!

    O mito de Narciso é uma dessas fábulas que explicam até onde pode ir a fraqueza humana. Apaixonado pela beleza de seu reflexo em um lago, o jovem orgulhoso parou de comer e de beber, até que morreu admirando a própria imagem. A mitologia antiga ajuda a explicar a natureza humana até os dias de hoje.

    Realmente, manter uma aparência jovem ajuda a manter a ilusão de que não estamos envelhecendo, mas nada mais do que isso porque todos sabemos que quando os anos passarem e o coração parar, cansado de tanto bater, não há lipoaspíração que nos salve... Importante mesmo é criar condições para que a população mais idosa possa ter condições dignas de vida. As rugas ou a celulite são um mal menor para quem está cheio de reumático, osteoporose ou sofre de alzeimer. Eterna juventude com cirurgias plásticas, isso já os egípcios faziam aos seus mortos, mumificando-os. O exercício físico regular permite resolver o problema de forma bem mais saudável. A minha receita são 7 mil Km de bicicleta por ano.

    Um excelente artigo escrito por você, nota 1000.

    Obrigada

    Beijos,

    Karina - UNICAMP - Campinas - SP.

    ResponderExcluir
  22. Prezado jornalista e comentaristas deste blog!
    É preciso pensar que nessa vida tudo é passageiro. Cada vez mais vemos pessoas enlouquecidas com sua aparência, como se beleza trouxesse a felicidade. Com certeza, sentir-se bem é ótimo, mas pra ser feliz, faltam outras coisas. Minha avó morreu aos 94 anos, com muitas rugas no rosto. E como era linda!

    Não sou contra cirurgias plásticas, mas sempre que alguém fala sobre isso eu penso que todas as pessoas que se submetem a cirurgias estéticas deviam antes passar por uma equipe multiprofissional, inclusive com avaliação psicológica, assim como ocorre em todas as cirurgias bariátricas (de redução de estômago). Acima de tudo ver se vale a pena arriscar a vida para ficar mais bonita. É preciso lembrar que somos pó e ao pó retornaremos. Sempre me lembro desse texto que pode servir de exemplo a muitos que não se contentam com o que tem, leiam:

    "Conta-se que, no século passado, um turista americano foi à cidade do Cairo, no Egito, visitar um famoso rabino.
    O turista ficou muito surpreso ao ver que o rabino morava num quarto simples, cheio de livros.
    As únicas peças de mobília eram uma mesa e um banco.
    - Onde estão os seus móveis? – perguntou o turista.
    E o rabino, bem depressa, perguntou também:
    - Onde estão os seus?
    - Os meus?! – disse o turista – Mas eu estou de passagem!
    - Eu também – disse o rabino.

    Bom fim de semana a todos!

    Fabiana G. Fonseca - Petrópolis - Rio

    ResponderExcluir
  23. Boa tarde, Edward!
    Depois de ler seu artigo com atenção, li também vários comentários. Até um médico se manifestou de forma contundente logo acima, desabafando e mostrando todo o seu descontentamento com a responsabilidade que sempre é jogada sobre os ombros da classe, muita vezes julgada de forma precipitada. E ele está correto. Nenhum médico sente prazer em errar e tirar a vida de seu paciente, mas é preciso que muitos deles também se conscientizem que não podem ultrapassar o limite de seu aprendizado, muito menos clinicar em áreas que desconhecem, como nesses casos de lipoaspiração e de abortos clandestinos. Quando morei em Marília, perto de minha casa tinha um consultório médico que, na prática, nada mais era que um esconderijo onde um médico fracassado na profissão praticava abortos um atrás do outro. Na cidade todos sabiam, mas nenhuma providência tomavam. Quando o nome do médico era citado, todos já sabiam que era o "rei do aborto". Até que um dia morreu uma jovem de 13 anos nessa "clínica" ao se submeter a um aborto. Era filha do delegado titular da cidade que desconhecia que a filha estava grávida. O médico foi preso, a clínica fechada e não mais sei de seu paradeiro. Só assim, para tomarem providências. Portando, Dr. Paulo Truglio, não sei a cidade em mora, para que a classe seja respeitada como o senhor sugere, é preciso também respeitar os pacientes, muitos jovens que economizam dinheiro durante meses a fio em busca de uma cirurgia que a deixe mais bonita, ou sem problemas estéticos que a incomodem, e acabam perdendo a vida por causa da imperícia de pseudos cirurgiões.

    Um abraço e bom final de semana a todos!

    Tanaka - Osasco - SP.

    ResponderExcluir
  24. Lipoaspiração não emagrece ninguém, é preciso mudança de atitude. Com essa cirurgia, onde a vida está em jogo, a gordura volta pra outro lugar do corpo, isso é certo. O problema está nos hábitos alimentares. Se não cotrolar a boca, vai jogar dinheiro fora. Isso se escapar com vida! Eu não faria, por nada desse mundo, uma cirurgia dessas, morro de medo até quando passo na frente de um hospital. Estou feliz com o que Deus me deu!

    Bjussssss,

    Mônica - Metodista - SBC.

    ResponderExcluir
  25. Boa noite a todos!

    Nunca fiz plástica, mas fiz correção de miopia a laser. Procurei mais de um médico, busquei indicação, vi fotos da clínica onde a cirurgia seria feita… O oftalmologista foi sincero e disse que podia não dar certo, que eu poderia continuar precisando de óculos pra ler (porque meu grau era muito alto). Explicou tão direitinho e teve tanta paciência com minhas dúvidas que me senti segura pra fazer a cirurgia. Não dá pra colocar sua saúde, seu corpo, nas mãos de um profissional qualquer como fazem muitas mulheres. Acabam encontrando a morte, caso dessa jornalista que tinha só 27 anos. Um texto muito claro e bem escrito, meus cumprimentos ao autor!

    Leila C. Tomazzini -Florianópolis/SC

    ResponderExcluir