terça-feira, 26 de janeiro de 2010


TODOS OS CLONES DO PRESIDENTE

Certa vez vi uma foto do ex-ditador do Iraque, Saddam Hussein, cercado de sósias, todos fardados, boina preta inclinada na cabeça e bigode, como ele. O terrorista, ou benfeitor da humanidade, depende só do ponto de vista de cada um, que tentasse matá-lo, ficaria atônito, sem saber quem era o verdadeiro Saddam Hussein. Aliás, ninguém garante que tenham enforcado o verdadeiro, pode ter sido um daqueles.

Mesmo detestando a figura, confesso que achei muito divertido e original esse esquema de segurança, que poderia ser adotado por outros ditadores ou mesmo presidentes democraticamente eleitos. Imaginem, por exemplo, o Lula cercado de lulas. Se um Lula falando bobagens já é material para o regozijo de qualquer humorista, imaginem então vários deles. A tática poderia ser adotada também por outros personagens, como o Arruda, do Distrito Federal, como também por deputados e senadores acusados de trambiques, envolvimento em mensalões e outros quetais. Os repórteres chegariam para entrevistar um desses pilantras e ouviriam: “Calma, meu filho, eu sou apenas clone! O verdadeiro Arruda é outro, mas não posso indicar por medida de segurança”.

Políticos clonados às centenas. Seria uma maravilha! Na campanha eleitoral poderiam se dividir, o mesmo candidato estaria ao mesmo tempo em muitos lugares, prometendo as mentiras de sempre e garantindo votos. Enquanto o verdadeiro candidato ficaria em sua mansão, coordenando tudo pelo celular e contando a grana que naquele dia carregou nas cuecas e meias. No fim da campanha se reuniria para comemorar numa pizzaria com sua equipe de clones, com direito a panetone na sobremesa.

No caso do Lula, teria que comprar um segundo avião só para carregar os diversos lulas. Seriam divididos entre as aeronaves, de modo que ninguém jamais saberia em qual delas estava o verdadeiro presidente. Quando cansado dos rapapés oficiais, poderia chamar seu melhor clone e instruir, com aquela voz rouca: “Companheiro, tô de saco cheio, hoje só quero tomar uma lisinha e dormir, vai lá e aguenta o Chaves”.

O Sarney não precisaria explicar as nomeações dos seus clones. Bastaria instruir para que não dessem bandeira em grupo, ninguém notaria. E todos teriam que carregar aquela expressão de eterno indignado, para dissimular sempre.

Outra vantagem dos clones é que haveria muito mais cuecas e meias disponíveis para carregar as doações das empreiteiras. Poderiam até pleitear um reajuste, considerando os novos custos de manutenção do pessoal. Só em ternos e gravatas estariam gastando uma fortuna, sem contar cabeleireiro e manicure.

Fica aí a sugestão para os encarregados da segurança das nossas queridas autoridades. E se alguém ler por aí alguma crônica parecida com esta, tenha certeza: é clone. A original é esta!
.............................................................................................................................................

*Milton Saldanha, 64 anos, é jornalista e dono de notável memória, que adora manter sempre viva.
.............................................................................................................................................

32 comentários:

  1. Bom dia, amigos e amigas do Blog de Edward de Souza!

    Olá, Milton Saldanha!

    Inaugurando a temporada de apoio técnico ao Edward, para um merecido descanso, sem que isso signifique ausência, porque ele estará sempre conosco, recebemos, ontem à noite, uma colaboração preciosa do Milton Saldanha que, numa crônica muitíssimo bem-humorada, dá (de graça!) uma ideia fantástica aos políticos e seus asseclas - a utilização de clones, para evitar stress e multiplicar a imagem (poderiam estar em vários lugares, ao mesmo tempo!).

    Sem dúvida, esta estratégia viria a calhar pois, originlmente, clones são utilizados por políticos como medida de segurança, vide Saddam Hussein,que tinha cinco clones. O Milton até interpõe uma dúvida - será que não foi um clone do Saddam o enforcado?

    Até mesmo os políticos safados, que estão sendo apanhados com a boca na botija (ou na grana), poderiam usar separar um quinhão de sua rapina nos cofres públicos a fim de pagar clones que os representem perante a justiça...

    Pois então, riam bastante, divirtam-se, deixem os seus comentários e sugestões, que aceitaremos com prazer!

    Obrigada, Milton, por sua generosa contribição!

    Um abraço a todos!

    ResponderExcluir
  2. Olá Milton Saldanha, uma boa idéia essa que acaba de passar... Aos políticos, claro. Tem apenas um senão que poderia estragar a festa do verdadeiro pilantra, o polegar. É ainda o único meio infalível para se identificar uma pessoa. Ninguém tem os mesmos traços. No caso do nosso Presidente, que muitos duvidam que saiba assinar, só deve mesmo usar o polegar, a coisa seria ainda mais complicada, a não ser que edite uma medida provisória proibindo o uso do polegar para assinaturas de analfabetos. Se é que ainda não criaram essa lei. Para isso ele precisaria aprender com urgência a assinar, claro. O nome teria que ser por extenso, no caso, um pingo e um traço não poderia ser Luiz Inácio....

    Bjos, adorei o texto!

    Gabriela - Cásper Líbero - SP.

    ResponderExcluir
  3. Olá Saldanha

    Genial sua crônica!
    As emissoras de TV têm feito vários concursos para apresentar os clones de personalidades brasileiras. O que mais aparece são sócias de políticos. Sarney, Lula, Getúlio, Jânio... Até sócias do Obama já tem aparecido.
    O presidente e seus comparsas, aproveitando o ano eleitoral, poderiam lançar o bolsa-sócia. Afinal uma a mais, uma a menos, não faria nenhuma diferença.
    Um abraço

    Paz. Muita Paz.
    J. Morgado

    ResponderExcluir
  4. Amigas e amigos do blog: o humor sempre desfrutou de certa imunidade. Uma das razões que me levam a ter muita inveja dos chargistas. Com poucos traços, muito talento e uma boa piada, eles conseguem efeitos melhores que mil discursos. Os supostos ofendidos temem processar humoristas, para não ampliar o ridículo a que já foram expostos. Humor é a mais difícil das artes. Em crônica, como ousei aqui, numa simples brincadeira, sem nenhuma ambição, é mais ainda. Confesso que o texto de humor não é minha praia. Se alguém sorrir, mesmo por dentro, já será alguma coisa. E quem não gostar terá minha compreensão e solidariedade, desde que pelo menos se associe na indignação.
    Beijos!
    Milton Saldanha

    ResponderExcluir
  5. É verdade, Cris! Clones são contagiosos! Muna-se com um anti-vírus bem potente!

    A propósito, lembrei-me, agora, que há um deputado, aqui na Assembleia Legislativa gaúcha, o Alexandre Postal, que tem um irmão gêmeo. São boas pessoas, ambos políticos, e iguais! O irmão é prefeito de um cidade. São boas pessoas, honrados. O Alexandre contou que, na época em que era prefeito, às vezes mandava o irmão representá-lo em alguma cerimônia...

    ResponderExcluir
  6. Oiê, amigos (as)...
    Caro Saldanha, bom, muito bom seu artigo sobre os sosias ou clones dos caras que estão no "puder". Assim, lembro de um história sobre o gênio Charles Chaplin. Dizem que houve, na Inglaterra, um teste para o cara mais perfeito imitador do Chaplin. O candidato teria que ser igual em tudo; na roupa, bigodes, trajes e tiques tiques. O próprio Chaplin se candidatou e ficou numa fila com cerca de 500 pretendentes. Fez o teste e... foi reprovado.
    Eu fui presidente de um clube de São Caetano, o São José, onde havia dois irmãos gêmeos idêntiicos que jogavam no time: Em determinada partida, com um pouco de neblina na região, meu treinador colocou um dos gêmeos em campo, onde já estava o outro. Ninguém, nem o árbitro, percebeu. Jogamos com 12, vencemos, o pessoal festejou e no dia seguinte demiti o técnico. Imagina então enfrentar os asiáticos... são todos parecidos, quando não absolutamente iguais.
    Valeu...

    abraços
    Oswaldo Lavrado - SBCampo

    ResponderExcluir
  7. Milton, sua crônica de hoje, além de muito humor, tem imaginação fértil. Logo vão levantar a lebre que Sadam Hussein vive! Já não tem a do Elvis Presley? Outro que deve ter usado clones foi Hitler. Dizem que morreu, mas até hoje nada foi encontrado que provasse isso. E naquela época não se pode duvidar que Hitler se utilizou desse expediente. Chaplin, citado pelo Lavrado, Elvis Presley e Hitler, até hoje são os mais imitados no Mundo todo. Logo, quem sabe, vamos ter o Lula. Seu sósia ou seus sósias vão ter que aprender três ítens fundamentais: falar errado, com voz grossa e pastosa, beber cachaça e mentir. O resto é fácil, um bom maquiador dá um jeito!

    Abraços!

    Miguel Falamansa - Botucatu - SP.

    ResponderExcluir
  8. Alô, alô Nivia. Em primeiro lugar, obrigado, muito obrigado pela mão forte que está emprestando a todos nós, amigos do Blog do Edward.

    Alô, alô, Edward, que sempre recebe os comentários daqui em primeira mão: largue esse computador e vá apreciar as belezas naturais e clonadas na amável cidade de Franca.

    Francamente falando, vale a pena ler o artigo anterior, do Oswaldo Lavrado. A propósito, amigo Lavrado, desculpe mas não consegui chegar a tempo para comentar seu exelente relato de ontem sobre o programa Dialogo Nacional, da TV Record do passado. Creia: o Fausto fez a melhor escolha porque alguém precisava colocar os pigos nos is debaixo dos holofotes vigiados pela ditadura medonha. Quem não leu, recomendo, vá lá e recupere a leitura.

    Milton Saldanha: a viagem de navio, mais uma vez, lhe fez muito bem. Continue se aventurando pelo humor. É dificil mas você tem talento, pode crer. Conheço você sério, como sempre. Mas esse toque de humor supreende e cativa. Cativou-me.

    Junto-me ao coro daqueles que desejam ver publicados aqui artigos e não somente comentários do Garcia Netto.

    Abraço forte ao mestre e amigo Tito Costa com quem tive a honra de trabalhar e aprender muito. Votos de uma breve e serena recuperação.

    Quanto ao Lula, dispensável criarem novos clones. Ele mesmo se clona a cada dia. Afinal quantos Lulas existem dentro de um só?

    Abração a todos,

    édison motta
    Santo André, SP

    ResponderExcluir
  9. Meus queridos -- Nivia Andres, Gabriela, J.Morgado, Cristina Fonseca, Oswaldo Lavrado, Miguel Falamansa, Édison Motta e quem mais possa estar postando neste momento: obrigado a todos pela participação e palavras gentis. Os detalhes que vocês acrescentaram são ótimos. E clone de chinês é redundância.
    Beijos!
    Milton Saldanha

    ResponderExcluir
  10. Ôi Milton, que legal essa sua crônica, me fez rir até chorar. Depois os comentários também muito engraçados, um deles da Gabriela, bem afiadinha hoje, né Gabi?
    Vamos rezar para que ninguém de Brasília leia essa crônica sua, Milton. Se resolverem arrumar sósias estamos perdidos. Se um só já enche os bolsos, cuecas e meias, imagine os clones então? Vai ser um Deus nos acuda!

    Bjusssss,

    Andressa - Cásper Líbero - SP.

    ResponderExcluir
  11. Milton Saldanha.
    A Nívia começou bem, trazendo você com a história do clone já em moda, no entanto, alguns caras de peroba, que andam por aí atuando em altos cargos, deveriam adotar o projeto. Em um exemplar, mostrariam cara sem vergonha, em outro, tentariam ser seria.
    Bem serviria as decisões do Gilmar Mendes e daquele Asfor Rocha presidente do STJ que suspendeu o andamento do processo Castelo de Areia para blindar Sarney, sua família e asseclas onde se inclui o supremo: Lula.
    Peço-lhe, amigo Saldanha, em favor de consolidar provas contra quem esconde dinheiro em meias e cuecas, juntar a sua sugestão, clonagem de notas de 100, 50 e outras. Quem sabe, assim, poderiam ser presos por passar dinheiro falso. Mesmo em flagrante, podem escapar. È muito forte a blindagem partindo do mais alto grau de poder.
    Um abraço do Garcia Netto

    ResponderExcluir
  12. Sabe Milton, nada me tira da cabeça que esse Lula que hoje está no poder já é clonado. Basta ver as promessas que ele fez em campanha e o que pratica hoje em seu governo. Não pode ser o mesmo, concorda? É bem possível que algum agente secreto a serviço de outra Nação tenha colocado veneno na cachaça do verdadeiro, colocando um clone em seu lugar, não é possivel alguém mudar tanto assim...

    Hoje em dia o clone de Lula faz um monte de coisas que o nosso amado, idolatrado, salve, salve Lula jamais, nunquinha faria! Ele segue os projetos do banco mundial descaradamente, fazendo umas reformas estranhas. Ele taxa os inativos, promete investir nas universidades privadas com a desculpa de que o estado brasileiro não tem dinheiro para investir nas universidades públicas, segundo ele um recanto educacional cinco estrelas da elite, faz programas ridículos que só prometem soluções ridículas para a fome no país. Hoje ninguém reconhece Lula, aquele Lula truculento sim, ele mesmo, com aquela barba feia, mas principalmente com fé nesse país. Esse Lula não é o Lula, ou é?

    Beijinhos,

    Vanessa - PUC - São Paulo

    ResponderExcluir
  13. Olá Milton, penso que melhor seria ficarmos mesmo com os sósias dos poderosos. Vai que algum cientista metido a besta tente clonar a Dilma e acontece de sair errado, como aconteceu com um cão. O coitado era amarelo e saiu preto. Imagine clonarem a Dilma e ela sair a cara do Lula. Vamos ter que aturá-lo mais 8 anos. Não tem lei que impeça a posse.

    Abraços,

    Tanaka - Osasco - SP.

    ResponderExcluir
  14. Meus caros: já disse isso antes aqui no blog, mas não custa repetir: minhas críticas ao Lula não significam que eu ache seus "opositores" melhores. No geral, são até piores. Ou, no mínimo, todos iguais, infelizmente. Não existem partidos, apenas grupos (para não dizer bandos)que brigam pelo poder, sem dar a mínima para o povão.Que me prove o contrário quem achar que tem argumentos para tanto. A melhor prova: todos os partidos estão com rabos presos nos mensalões.
    Milton Saldanha

    ResponderExcluir
  15. Milton, certo que morri de rir dessa sua crônica, ao mesmo tempo fiquei apavorada imaginando um monte de Lulas, Sarneys, Paloccis, Zédirceus e Genoínos da vida nos atazanando a vida e roubando os cofres públicos. O Delúbio Soares então, em cópias, aí sim, teríamos Ali-Babá e os 400 ladrões. Vou acender uma vela de 7 dias agora mesmo, para que ninguém tenha essa idéia (rsssssssssss...).

    Bjos,

    Daniela - Rio de Janeiro

    ResponderExcluir
  16. E mais uma coisinha: todo cidadão pensante tem que ser duramente crítico em relação a todos os governos, principalmente daqueles nos quais votou. É direito e dever. Os regimes opressores, de direita e esquerda, que suprimem a manifestação do povo, resultam sempre em completo fracasso em termos de bem-estar social. Ao mesmo tempo em que suas elites prosperam. Quanto aos jornalistas, desconfie sempre daqueles que apoiam incondicionalmente qualquer governo.
    Abraços!
    Milton Saldanha

    ResponderExcluir
  17. Boa tarde, MIlton Saldanha!
    Lendo a sua crônica, lembrei-me do clone da ovelha Dolly, e do potencial risco de produção humana em série. Adoro imaginar o que muitos entendem como pesadelo, e confesso que quanto mais penso no assunto, mais gosto da idéia. Claro que tem o lado moral, o aspecto ético, a questão religiosa. Mas, se deixarmos isso de lado por um instante, podemos imaginar um mundo diferente, mais relaxado e divertido.

    Imagine como seria bom ter um clone de Presidente da República como o Lula. Afinal, dizem que os políticos, principalmente prefeitos do interior, só encontram essa ilustre figura em duas ocasiões: quando está patrocinando churrasco na Granja do Torto com dinheiro público, e nas campanhas políticas quando participa de inaugurações, como agora, carregando a Dilma pra cima dos palanques. Com um clone, seria possível vê-lo mais cotidianamente, e não apenas nos momentos felizes ou trágicos.

    Frases como: "Você não acha que ele
    deveria estar aqui acompanhando isso?" não seriam mais ouvidas com insistência pelos corredores do Palácio do Planalto, ao mesmo tempo, e sobre a mesma pessoa. E seria engraçadíssimo o discurso dos clones de Lula, cada um usando o linguajar "cabeludo" do chefe. As viagens constantes não seriam criticadas, poderia se dizer que Lula foi representado por um clone. Nesse caso, seria preciso também clonar uma Marisa. Aí seria um grande problema. Duvido que algum cientista consiga fabricar uma primeira dama igual, com tantos predicados (sic). Outro problema seriam a multiplicação de bolsas, com tantos clones do presidente dando sopa no poder. Logo criariam sacolas-benefícios, mais prático. E todos os clones de Lula seriam adorados pelo povão... Esse dia ainda chegará, aguardem!

    Bjusssssss

    Bruna - Universidade Federal de Juiz de Fora/MG

    ResponderExcluir
  18. Oiê amigos (as)
    Caro Saldanha,já que entre seus clones está inserido o nosso glorioso Lula: por acaso ontem em São Paulo, falando sobre enchentes, ele se referiu ao bairros Ponte Preta e Arapuá, ambos divisa com São Caetano. Disse ainda que foi morar na Vila São José, hoje bairro. Foi alí que conheci o então operário da Villares, já que morei na vila por mais de 40 anos e fui presidente do clube São José, ao qual me referi no comentário acima, atualmente um dos clubes mais completos do ABC. Alí, no Bar do Peixe - um boteco da Estrada das Lágrimas - é que a gente batia um truquinho ou dominó no final da tarde. As vezes, sem nenhum compromisso com o clube, o Lula, então ilústre desconhecido, mas amigo do pessoal da vila, batia uma bolinha com a gente. Nisso até que o cara não era ruim. Nosso Edward, lá pelos anos 80, esteve comigo algumas vezes no boteco, porém nessa o Ínácio já era Lula.
    Vale acrescentar que nesse tempo sempre fui amigo do Lula e, muitos anos depois, da Lurian, filha dele, porém, por desencontros ideológicos, nunca votei no Lula.
    Seu artigo levou-me a rememorar esse tempo e, quem sabe, juntarei os cacos disso tudo, escreverei um artigo para o nosso blog.
    Lembranças, boas lembranças.

    abraços
    Oswaldo Lavrado - SBCampo

    ResponderExcluir
  19. Amigos do blog de ouro bôa tarde.
    Milton Saldanha,meu amigo.
    Hilário seu artigo de hoje, clones sempre existiram e vão existir, mas clonar o LULA, haaaaaaaa vai ser impossivél,pois "nunca antes neste pais existiu ou vai existir" um "presidente"igual ao MOLUSCO.
    Etilicamente imbativél,linguajar incorrigivel,e ignorancia incontestavel.
    Vai ser muito dificil encontrar um sósia de LULA no país inteiro.

    Parabéns pelo artigo de hoje, Milton Saldanha, que exibiu sua veia humoristica para os leitores e comentaristas do "nosso"blog.

    Edward meu amigão, fique tranquilo, pois estamos vendo que o barco navega em aguas calmas, mesmo sem sua valiosa presença,conduzido pelos demais articulistas, aguardando seu retorno assim que estivér recuperado fisicamente.

    Abraços a todos

    Admir Morgado
    Praia Grande SP

    ResponderExcluir
  20. Milton, quanta criatividade você despertou com essa crônica que escreveu hoje para o blog. Li todos os comentários, como sempre faço, e percebi que a imaginação correu solta entre minhas coleguinhas... E como! A Bruna, de Juiz de Fora, por pouco não parte para a ficção (rsssssss...), foi brilhante. Muito legal seu texto, adorei!
    Poderia me explicar o que está havendo com o Edward? Ele passou o comando para a Nivia porque está descansando, isso? Peguei o bonde andando. Nada de mal com ele, não, Milton?

    Beijos a todos,

    Larissa - Metodista - SBC.

    ResponderExcluir
  21. Boa noite, Milton Saldanha!
    Depois de rir muito lendo sua crônica e alguns comentários, acabei me lembrando de uma brincadeira que corria solta na época em que Sadam Hussein estava sendo caçado pelos Estados Unidos. Saddam, muitos devem se lembrar, tinha varios sósias, na verdade 32. Com os constantes ataques a Bagdá, não se sabia se ele ainda estava vivo, por essa razão o ministro de Guerra do Iraque reuniu todos os sósias para dar a informação sobre as condições de Saddam.

    - Tenho duas noticias para vocês, uma boa e uma ruim. Qual vocês querem primeiro?

    - Os sósias preferiram que informasse a boa notícia.

    O ministro então falou: "Sadam está vivo"!

    Todos comemoraram com grande entusiasmo, e até esqueceram da má notícia, quando o Ministro interrompeu a comemoração com a notícia ruim: "Está vivo, mas perdeu um braço".

    Beijinhos,

    Cindy (São Caetano) Metodista - SBC

    ResponderExcluir
  22. Novos agradecimentos e cumprimentos pela brilhante participação agora de Andressa, Garcia Netto, Vanessa, Tanaka, Daniela, Bruna, professor João Paulo de Oliveira, Admir Morgado, Larissa, Cindy e pelo retorno de Oswaldo Lavrado e Cristina Fonseca.
    Beijos!
    Milton Saldanha

    ResponderExcluir
  23. Olá Milton, divertida crônica você escreveu. Foram tantos comentários engraçados que me fizerem rir muito. O Édison Motta disse, no final do seu comentário que o Lula não precisa de clones, pois ele mesmo se clona todos os dias. Eu penso, Édison e MIlton, que Lula não chega a ser nem um clone e nem um robô. É um Pinóquio que Gepeto não conseguiu controlar. Um boneco de madeira. O nariz só não cresce, pois aí sim, foi aperfeiçoado nos laboratórios de Duda Mendonça. E no meio do caminho não apareceu nenhuma fada para segurar as pontas.

    José Serra é mistura de ambos. Ora age como robô, ora age como clone, na maioria das vezes sem controle algum do fabricante. Sofre de serrite aguda, como FHC, de fernandite aguda. São aqueles que acreditam que fora deles não existe salvação.

    Beijos a todos,

    Ana Caroline - Ribeirão Preto - SP.

    ResponderExcluir
  24. Ana Caroline, concordo 100% com você, esses arrogantes todos se acham salvadores da pátria, não sem antes salvarem seus próprios bolsos. A volta da quadrilha que se afastou na crise do mensalão do PT, agora para trabalhar na campanha eleitoral, é tão lamentável quanto a eterna impunidade do Maluf, Sarney, Quercia, Jader Barbalho, Delfim Netto, Arruda e tantos outros que manobram abertamente, ou nos bastidores, apoiando e sendo apoiados pelo governo Lula, que prometia a moralização do país.
    Abraço!
    Milton Saldanha

    ResponderExcluir
  25. Muito bom e divertido. Bons também os comentários.

    ResponderExcluir